Duas caras, várias manchetes

Aguinaldo Silva, pai de Duas Caras, é um colecionador de notícias. Sempre que vê algo inusitado em jornais e revistas, recorta e guarda. Desses recortes do mundo real sai boa parte da inspiração para o ficcional. Foi assim em Senhora do Destino, quando utilizou o drama mais do que noticiado do menino Pedrinho, seqüestrado da mãe na maternidade, como base principal da trama. Será assim agora, em Duas Caras, com o homem que aplicou um golpe e trocou de personalidade e rosto (por meio de plásticas), Adalberto Rangel ou Marconi Ferraço, vivido por Dalton Vigh.Parte do personagem saiu da história de um sujeito que chegou a ser chefe da Censura Federal, até que descobriram que ele era outra pessoa, condenada por um crime gravíssimo. Já a idéia das cirurgias plásticas, admite o autor, veio da história do ex-deputado e ex-ministro José Dirceu, que mudou de rosto para fugir da repressão na época da ditadura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.