AFP
AFP

Documentário sobre Berlusconi fala de sexo e de Putin

Estreou na Netflix o filme 'My Way', sobre a vida agitada do ex-primeiro ministro italiano, condenado por fraude fiscal e corromper menores

Ansa

10 de novembro de 2016 | 20h50

Estreou no Netflix um documentário sobre o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi, um dos personagens mais controversos dos últimos 20 anos na política internacional. Dirigido por Antongiulio Panizzi, My Way (Meu Caminho, em tradução livre) é baseado no livro homônimo do jornalista norte-americano Alan Friedman. Em mais de 100 horas de entrevistas, concedidas ao longo de 18 meses, Berlusconi fala sobre temas como escândalos sexuais, as acusações de corrupção contra ele e a amizade com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Com 80 anos recém-completados, o ex-primeiro-ministro está impedido de ocupar cargos públicos até 2019 por conta de uma condenação - já cumprida - por fraude fiscal. Berlusconi governou a Itália em três períodos (1994-1995, 2001-2006 e 2008-2011). Nesse meio tempo, personalizou a política italiana de uma forma nunca antes vista e se envolveu em escândalo atrás de escândalo. No mais grave deles, foi acusado de fazer sexo com uma garota de programa marroquina menor de idade, Ruby Rubacuori, ou "Ruby Rouba Corações".

O relacionamento com a jovem levou a público as noitadas promovidas nas mansões do ex-primeiro-ministro, conhecidas como "bunga bunga", e o colocou no banco dos réus por prostituição de menores e abuso de poder. Alegando não saber a idade das meninas que iam à sua casa, ele foi absolvido pela Corte de Cassação de Roma, mas promotores o acusaram de ter comprado o silêncio delas com gordas mesadas e abriram um processo por corrupção do sistema judiciário e falso testemunho.

Além disso, foi condenado em primeira instância a três anos de reclusão por ter subornado senadores para derrubar o governo de esquerda de Romano Prodi em 2008, embora a própria acusação tenha reconhecido recentemente que o delito prescreveu. Porém o que determinou o fim da vida política de Berlusconi foi uma condenação em último grau, em 2013, por fraude fiscal, que teve como efeito a cassação de seu mandato de senador. A sentença também o fez cumprir pena de um ano de serviços sociais em um asilo de Milão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.