Do túnel do tempo às vitrines

DândiSempre chique, qualquer que seja o papel, Guilherme Weber entrou em Ciranda como o costureiro Arthur X. Com ares de dândi e ao lado de um cachorro que parece ter feito escova progressiva, é referência e homenagem ao estilista Denner, gênio da moda brasileira RomânticaO vestidinho primaveril de Virgínia (Tammy Di Calafiori) parece mesmo ter saído dos anos 50? Sim, parece. Mas poderia estar em qualquer vitrine contemporânea. Cintura marcada por um cinto fino e estampa delicada, o modelo foi um dos mais-mais no último verãoAbotoadaVestidos chemise (ou chemisier) como este de Margarida (Cleo Pires) vão e voltam à moda, em reinvenções mil. Os tecidos e as estampas mudam, mas o conceito é sempre o mesmo: uma fila interminável de botões que transmite certo recato e desafia a imaginação masculinaDa brecaDe modelitos adorados pelas coquetes dos anos 50, os vestidos em estilo marinheiro (ou navy) vestem as mais descoladas dos anos 2000. Num comprimento mais curto, o autêntico marinheiro de Otávia (Ariela Massotti) faria a alegria das pin-ups modernas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.