DNA artístico vai marcar nova fase de 'Malhação'

Filhos e netos de artistas consagrados são destaques no elenco da próxima temporada da novela adolescente, que estreia na segunda

João Fernando, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2014 | 19h00

Ter uma geração que abriu o caminho pode ter inspirado, mas não ajudou os atores iniciantes de Malhação Sonhos, nova fase da novela adolescente, que estreia segunda, às 17h50, na Globo. Entre as caras novas dessa 22ª temporada estão descendentes de artistas consagrados, como Irene Ravache e Mussum (1941-1994), que precisaram fazer mais de um teste para conseguir um papel.

"Eu tinha tentado em 2009, mas não rolou", relembra Antonio Carlos, de 20 anos, filho do icônico ex-integrante de Os Trapalhões. Com papéis menores em novelas como América (2005) e Caminho das Índias (2009), quando ainda usava o nome artístico de Mussunzinho, ele terá mais destaque na nova trama, escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, e passará a assinar o trabalho com os dois primeiros nomes, os mesmo do pai. "Tinha uma indecisão de usar Mussunzinho, não desmerecendo. Mas não rolava de um negão deste tamanho chamado de 'inho'. Tenho identidade própria", defende.

Em Malhação Sonhos, ele será Wallace, jovem do subúrbio carioca - o que o deixou com receio de fazer referência a Mussum. "Ele traz uma carga de comédia. Senti medo por isso. Melhor que meu pai vai ser difícil", orgulha-se o ator, que cresceu sem o humorista. "Mas ele me acompanhou em todos os momentos da minha vida", afirma.

Entre os calouros está Rafael Vitti, de 18 anos, filho de João Vitti, atualmente na Record. "Sempre tive um distanciamento (da profissão de ator) por causa dos meus pais. Mas também sempre tive uma queda pela arte. Aos 15, fui fazer (escola de teatro) Tablado. Teatro é bom para desenvolver tudo", explica ele, que, na trama, encarna Pedro, filho de Delma (Patrícia França) e Marcelo (Felipe Camargo), donos do restaurante que servirá de ponto de encontro de diferentes núcleos.

Quase como um rito de iniciação, Felipe Simas, de 20, seguirá o caminho do pai, Beto Simas, e dos irmãos Bruno Gissoni e Rodrigo Simas, todos com passagem por Malhação. "Estava chegando a minha hora. A família inteira já passou", comemora o artista, rejeitado em testes anteriores. Para começar no novo ofício, ele deixou a vida no futebol profissional. "Eu era jogador há dois anos. Mas comecei a ver o dia a dia dos meus irmãos. Na hora em que subi num palco, encerrei a minha carreira de jogador. Estou feliz", conta ele, que tem um filho de sete meses. Na novela, Felipe dá vida a Cobra, um competitivo aprendiz de artes marciais.

Também com 20 anos, Cadu Libonati, neto de Irene Ravache, ficou aflito com a instabilidade da profissão antes de ser aprovado para o elenco. "Estava no desespero. Eu me formei. E agora?", revela ele, que já tinha feito cadastro no banco de talentos da Globo. Apesar da tensão, o carioca diz ter ido bem nas audições. "Acho que fiz um bom teste. Não tenho problema em dizer", gaba-se.

Na história, ele é Jefferson, jovem que sonha em se tornar bailarino, mas sofre preconceito do próprio pai. "Vai rolar aquela brincadeira de que é boiola quem dança. Para mim, é tudo arte, e arte não tem gênero”, defende. Na vida real, Cadu, com formação de balé, sempre teve apoio em casa. "Entrei para a dança para melhorar minha performance no teatro", afirma ele, que busca o lugar ao sol. "Espero que um dia eu seja o Cadu Libonati e não mais o neto da Irene Ravache."

* O REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DA TV GLOBO

Tudo o que sabemos sobre:
MalhaçãoGlobonovela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.