Divã para Benson e Stabler

Em 'Law & Order: SVU', detetives vão mostrar seus traumas nessa 10ª temporada, no ar terça

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2008 | 15h42

Neal Baer foi produtor de E.R., na época áurea, com George Clooney e, em 2000 foi produzir Law & Order: SVU, em seu segundo ano no ar. Este ano, SVU comemora 10 anos no ar. A série, com Mariska Hargitay e Christopher Meloni, supera, de longe, a original Law & Order e a franquia Law & Order: Criminal Intent. Baer comentou, em entrevista por telefone, o que o público pode esperar para o 10º ano que estréia terça, às 23 horas, no Universal Channel. Como você vê a evolução da série nesses 10 anos?Passamos a apresentar os personagens por meio das histórias dos crimes que estão investigando. Tentamos levantar questões éticas e fazemos com que os personagens as discutam. Também pressionamos a série a evoluir visualmente. Usamos muitos cortes, saltamos no tempo, fazemos o necessário para contar a história de forma atraente e vamos usar mais locuções sobre imagens. Este ano, você ouvirá a voz de Tamara Tunie (a legista Melinda Warner) explicando uma autópsia - nunca fizemos isso antes. Após um 9.º ano intenso para Benson e Stabler, vamos ver mais a vida dos detetives? Sim, principalmente Stabler. A filha dele é bipolar e vai ser presa. Ele vai precisar da ajuda da mãe para lidar com a filha. E vocês vão ver como Benson vai ajudá-lo nesse momento. Este é provavelmente o melhor episódio que já fizemos, com Ellen Burstyn (a mãe de Stabler). Vocês vão ver a dor de Stabler e entender porque ele é assim. Então, vamos saber o motivo de Stabler ser tão fechado e descobrir coisas bem doidas que aconteceram com ele durante a infância. É um episódio intenso e revelador. Vocês também vão ver Mariska (Hargitay, a detetive Benson) lidar com o estresse pós-traumático, depois da tentativa de estupro que sofreu na última temporada. E vão conhecer a terapeuta dela, a atriz Brooke Adams, mulher de Tony Shalhoub (o Monk). Então, a resposta à sua pergunta é sim, com ponto de exclamação (risos). É possível que haja um romance entre Benson e Stabler, já que, obviamente, há uma tensão entre eles? Não. Nunca. Não dá para acontecer, porque a tensão sexual acabaria. Então, aproximarei os dois a ponto de satisfazer a fantasia do público. Por exemplo, esse ano, Chris (Christopher Meloni, o detetive Stabler) vai trabalhar disfarçado de contrabandista e Mariska será uma prostituta e terá de fingir que está com ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.