Divulgação
Divulgação

Diretamente do oscar para a tv paga

Telecine garante ‘Guerra ao Terror’ e ‘Avatar’; HBO tem ‘Up’ e ‘Invictus’

Cristina Padiglione,

20 de março de 2010 | 16h00

Não é que a disputa entre os canais de TV pelos filmes vencedores ou bem cotados no Oscar seja decidida no braço, digo, na base de quem dá mais. Antes de mais nada, cada canal, pago ou aberto, tem parcerias firmadas com os grandes estúdios de cinema. A rede Telecine, por exemplo, é uma joint-venture entre a GloboSat e os estúdios Fox, Universal, Paramount e MGM. Na hora de negociar seus filmes com os canais no Brasil, esses estúdios sempre dão prioridade ao Telecine. Isso explica por que a rede já anunciava, poucas horas após a última premiação, que os grandes vencedores do páreo já estavam garantidos em seus canais.

Vamos às contas: o Telecine ficou com a parte mais cotada do bolo, a começar por Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow (melhor filme, direção, roteiro original, edição, mixagem e edição de som), que o canal promete levar ao ar ainda este ano. Avatar, de James Cameron, campeão de bilheteria do ano, também é do Telecine, que tem ainda os direitos sobre Bastardos Inglórios (de Quentin Tarantino, Oscar de melhor ator coadjuvante a Christoph Waltz), Coração Louco (melhor ator para Jeff Bridges e melhor canção original), e Star Trek (maquiagem).

 

O grupo HBO também já acertou sua fatia entre os contemplados: é da HBO a primeira exibição no Brasil do delicioso UP - Altas Aventuras, premiado como animação e indicado entre os melhores filmes do ano, Um Sonho Possível (melhor atriz para Sandra Bullock) e Educação (melhor atriz coadjuvante a Carrey Mulligan). Entre os indicados, o grupo elenca Invictus (de Clint Eastwood, com Morgan Freeman indicado como ator), Distrito 9 (indicado a filme), A Princesa e o Sapo (que concorria como animação e em canção original) e Julie & Julia (que rendeu mais uma indicação a Meryl Streep como atriz).

 

Na seara dos canais abertos, a negociação ainda não resultou em qualquer definição. Embora a Globo seja parceira da Fox e deva levar Avatar - o SBT tem acordo com a Warner, e a Record, com os estúdios Universal -, o acerto final depende ainda de trâmites com as respectivas distribuidoras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.