Divulgação
Divulgação

Diferença na exibição lá fora marcou produções na televisão

A ansiedade dos brasileiros aliada ao pavor dos downloads ilegais por parte dos canais fez com que as emissoras antecipassem ao máximo a chegadas dos episódios

João Fernando, O Estado de S. Paulo

27 de dezembro de 2013 | 22h19

Em meio a uma produção nacional de séries pulsante, as atrações importadas tiveram sua relevância este ano. A ansiedade dos brasileiros aliada ao pavor dos downloads ilegais por parte dos canais fez com que as emissoras antecipassem ao máximo a chegadas dos episódios.

Um dos melhores exemplos foi a terceira temporada de Game of Thrones, recordista de pirataria virtual no ano passado. A mega produção da HBO foi ao ar no Brasil e nos EUA no mesmo dia. Apesar do excesso de tramas em um só capítulo, a produção deixou telespectadores estarrecidos durante o Casamento Vermelho, em que uma chacina provocou baixas consideráveis entre os personagens.

Outro hit de 2013 foi a final de Breaking Bad. Deixada de lado pelo AXN, que a exibiu no Brasil nas primeiras temporadas, a série mobilizou fãs, que fizeram excursão à cidade natal do protagonista Walter White, vivido por Bryan Cranston. O atraso em relação à transmissão na matriz deixou a desejar.

Em baixa na segunda temporada, Revenge conseguiu reaver os ânimos de quem acompanhava a vingança de Emily Thorne (Emily Van Camp) ao contar a história de trás para a frente e mostrar a loira sendo baleada no primeiro episódio.

Quem marcou território foi Girls. A série escrita, dirigida e protagonizada por Lena Dunham fisgou a mulherada ao deixar claro que nem todo mundo é lindo e rico em Nova York, mas que é possível se divertir assim mesmo. A terceira leva chega em janeiro, na HBO.

No quesito reconstituição de época, Masters of Sex foi uma boa surpresa ao mostrar a revolução sexual na década de 1950. Quase contemporânea, Mad Men, já em seu sexto ano, avançou para 1968 e relembrou a morte de Martin Luther King com primor. Mais moderna, porém com a mesma elegância, Downton Abbey se mostrou dinâmica na trama, assim como as mudanças dos anos 1920.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.