Antonio Chahestian
Antonio Chahestian

Defesa de Rose di Matteo reúne bilhetes, cartas e áudios para confirmar união estável com Gugu

Processo também inclui testemunho de funcionários que comprovariam a intimidade dos dois

Renato Vieira, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2020 | 11h55

A defesa de Rose Miriam di Matteo, que pede o reconhecimento de união estável com o apresentador Gugu Liberato, morto em novembro, enviou à Justiça bilhetes, cartas, áudios de Whatsapp e vídeos comprovando que Gugu e Rose tiveram uma união estável iniciada em 2000.

O jornal O Globo divulgou na, quinta-feira, 5, que 75 fotos de Rose e Gugu constam no processo que está na 9ª Vara da Família e Sucessões do Foro Central de São Paulo.

As evidências apresentadas pela defesa também incluem testemunhos de funcionários como um motorista do apresentador que comprovaria a intimidade dos dois. Rose e a família de Gugu disputam a herança do apresentador, estimada em R$ 1 bilhão.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Rose Miriam Di Matteo (@rosemiriamoficial) em

Nelson Wilians, advogado de Rose, afirma não ter dúvidas de que as provas são contundentes e darão ganho de causa a ela. Segundo o advogado, a relação entre os dois foi pública, duradoura, continuada e os dois se apresentavam como uma família. Em São Paulo, os dois não moravam na mesma casa, mas em Orlando, onde o apresentador morreu, sim.


Wilians conta que Rose está no Brasil e passa bem. Ele diz que no momento os filhos de Gugu e Rose, João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Sofia e Marina, de 16, estão nos Estados Unidos, sob os cuidados da avó materna.

Além do pedido de união estável, há o processo em que Rose pede a anulação do testamento firmado em 2011, em que não foi incluída. Em 26 de fevereiro, o desembargador Galdino Toledo, da 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), voltou a validar o testamento do apresentador. Segundo Wilians, ela pode voltar a contestar o documento se a união estável for reconhecida.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Só alegria!

Uma publicação compartilhada por Rose Miriam Di Matteo (@rosemiriamoficial) em

Ainda em 2011, um termo de compromisso de criação dos filhos foi firmado entre Gugu e Rose. O documento previa pagamentos mensais a ela, a serem depositados na conta do irmão de Rose. De acordo com Wilians, os dois atravessavam uma crise no relacionamento e ela enfrentava uma depressão. “O termo é nulo de direito porque Rose não tinha a menor condição psíquica para discernir e assinar o documento. Ainda que tivesse, ele perde a validade porque logo em seguida Gugu volta com Rose.”


O advogado também diz que a entrada de Thiago Salvatico, que se diz namorado de Gugu, na disputa pela herança, seria uma “cortina de fumaça”. “Ele iria entrar para pedir o quê? Rose nunca ouviu falar dele. A relação dele com Gugu era pública? Nem eu nem meio mundo sabia. Aquilo é cortina de fumaça por quem tem interesse em embaralhar tudo.”

No caso de a Justiça reconhecer a união estável, Rose terá direito a 50% dos bens adquiridos por Gugu durante o relacionamento de ambos. Wilians acredita que até o fim do ano a Justiça dará um veredicto sobre o processo.

O Estado procurou representantes da família de Gugu para comentar as declarações de Wiliams. Os advogados do espólio do apresentador afirmaram que só irão se manifestar no processo.

A morte de Gugu

O apresentador Gugu Liberato morreu em 21 de novembro de 2019, aos 60 anos, em Orlando, na Flórida, onde tinha uma residência. Ele havia sido internado em um hospital após sofrer um acidente na casa onde morava. 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Meu eterno

Uma publicação compartilhada por Rose Miriam Di Matteo (@rosemiriamoficial) em

 



 

Tudo o que sabemos sobre:
Gugu LiberatoRose Miriam Di Matteo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.