Epitácio Pessoa/ Estadão
O apresentador Gugu Liberato durante gravação do 'Domingo Legal', em 1997 Epitácio Pessoa/ Estadão

Familiares e amigos se despedem de Gugu Liberato na Assembleia Legislativa

Fãs aguardam o início do velório na Assembleia Legislativa; enterro também será aberto ao público

Redação, O Estado de S. Paulo

28 de novembro de 2019 | 08h51
Atualizado 28 de novembro de 2019 | 14h32

Familiares e amigos mais próximos prestam as últimas homenagens a Gugu Liberato na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde o corpo do apresentador chegou por volta das 10h50. A entrada do público ao velório será aberta ao meio-dia.

Gugu morreu na sexta-feira, 22, aos 60 anos, após uma queda em sua residência nos Estados Unidos. Seu corpo chegou no início da manhã desta quinta-feira, 28, no Aeroporto de Viracopos, e foi liberado por volta de 8h40.

O velório de Gugu é aberto ao público e deve durar quase 24 horas. Às 10h de sexta-feira, o corpo será levado ao Cemitério Gethsemani, no Morumbi, onde será sepultado no jazigo da família. O enterro também será aberto ao público.



Fãs do apresentador já fazem fila na lateral da Assembleia Legislativa para se despedir do apresentador. 

Segundo informações de sua assessoria de imprensa,  Gugu teve uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa. Ele bateu a cabeça na quina de um móvel. Em sequência, exames constataram a morte cerebral do apresentador.

Órgãos do apresentador foram doados, como era de sua vontade, e devem beneficiar cerca de 50 pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Morte de Gugu Liberato: veja a repercussão

Apresentador morreu nesta sexta-feira, 22, dois dias depois de sofrer um acidente doméstico

Redação, O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2019 | 21h42
Atualizado 25 de novembro de 2019 | 17h44

Depois da morte do apresentador Gugu Liberato nesta sexta-feira, 22, colegas, amigos, profissionais e fãs do apresentador usaram as redes sociais para lamentar a notícia. O apresentador morreu dois depois de sofrer um acidente na casa onde morava em Orlando, na Flórida.

Entre os colegas que se manifestaram estão Ana Maria Braga, Fátima Bernardes e o governador de São Paulo, João Doria.

Veja a repercussão:

Celso Portiolli (apresentador)

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Cuida meu Pai, conforta Deus, pega no colo essa família q tanto sofre agora com essa perda. Que dor estou sentindo no meu peito

Uma publicação compartilhada por Celso Portiolli (@celsoportiolli) em

 

Fátima Bernardes (apresentadora)

 

Ana Maria Braga (apresentadora)

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Muito triste, muito triste... eu lamento muito sua partida. Meus sentimentos e minha solidariedade à família. Descanse em paz #rip

Uma publicação compartilhada por Ana Maria Braga (@anamaria16) em

 

Angélica (apresentadora)

 

Luan Santana (cantor)

 

João Doria (governador de São Paulo)

 

Maisa (apresentadora)

 

Luciano Huck (apresentador)

 

Fernanda Abreu (cantora e compositora)

 

Britto Jr (apresentador)

Alcione (cantora)

 

Sabrina Sato (apresentadora):

 

Ratinho (apresentador):

 

Em comunicado à imprensa, o SBT também lamentou o ocorrido. "A família SBT lamenta profundamente a morte do apresentador Augusto Liberato, que faleceu nesta sexta-feira em decorrência de um trauma causado por um acidente doméstico em sua residência de Orlando, Estados Unidos. A emissora reforça que Gugu será sempre parte de sua história e presta sua solidariedade a todos os seus familiares, amigos e fãs".

Tudo o que sabemos sobre:
Gugu Liberatotelevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Velório de Gugu Liberato deve ser aberto ao público ao meio-dia de quinta, 28

O velório do apresentador Gugu, que morreu aos 60 anos, deve durar de meio-dia de quinta, 28, até as 10h de sexta, 29

Redação, O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2019 | 07h31
Atualizado 27 de novembro de 2019 | 10h20

O velório do apresentador Gugu Liberato deverá ser liberado ao público a partir do meio-dia de quinta-feira, 28, na Assembleia Legislativa de São Paulo. O corpo será velado em caixão aberto, segundo informação divulgada pela assessoria do comunicador. A entrada popular ao Salão Monumental da Alesp será pela Avenida Sargento Mario Kozel Filho. 

"Acreditamos que, por volta das 12h, o velório será aberto e se estenderá até às 10 horas da manhã de sexta-feira, 29, quando o corpo seguirá em carro de bombeiros para o Cemitério Gethsemani, no Morumbi, onde será sepultado no jazigo da família", diz o comunicado.

Ainda segundo a assessoria, o corpo de Gugu Liberato deverá chegar no aeroporto de Viracopos, em Campinas, por volta das 6h da quinta. Terminada a liberação legal, seguirá para São Paulo. Batedores da Polícia acompanharão o cortejo nesse trajeto."Chegando à Assembléia, tudo será preparado e o salão principal será o local do velório, aberto para que o público possa se despedir de Gugu."

Gugu Liberato morreu na sexta-feira, 22, após sofrer um acidente doméstico dois dias antes em sua casa, em Orlando, nos Estados Unidos. Ele estava com 60 anos.

Segundo informações divulgadas pela sua assessoria de imprensa, ele teve uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa. Ele bateu a cabeça na quina de um móvel. Em sequência, exames constataram a morte cerebral do apresentador. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Cirurgia para doação de órgãos de Gugu durou seis horas

Procedimento foi realizado em Orlando e segundo a equipe médica pode beneficiar até 50 pessoas

Redação, O Estado de S. Paulo

24 de novembro de 2019 | 17h54

A cirurgia para retirada dos órgãos de Gugu Liberato foi realizada durante a madrugada de sábado, 23, para domingo, 24, e durou mais de seis horas, de acordo com um comunicado da assessoria de imprensa do apresentador. Gugu morreu na sexta-feira, 22, aos 60 anos, depois de sofrer um acidente doméstico em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos.

A instituição Our Legacy realizou os trâmites referentes a retirada dos órgãos, conservação e intermediação com os pacientes.

Os familiares de Gugu verificaram com a equipe médica se seria possível doar algum órgão para um paciente brasileiro que estivesse na fila para transplante, o que acabou não ocorrendo por questões de distância e tempo de conservação.

A doação de órgãos era um desejo do apresentador e deve beneficiar cerca de 50 pessoas.

Após a cirurgia, o corpo de Gugu foi levado para o instituto responsável pelas necropsias e laudos (o equivalente ao IML no Brasil) onde, por lei, são encaminhados todos os corpos com morte não natural.

Um médico legista deverá fazer os exames necessários na segunda-feira, 25. Ainda não há informações certas sobre o traslado do corpo para o Brasil.

O velório será na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), mas a data ainda não foi confirmada. O sepultamento ocorrerá no jazigo da família no Cemitério Getsêmani, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Gugu Liberatodoação de órgãos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Gugu Liberato morre aos 60 anos nos EUA

Apresentador caiu de uma altura de quatro metros em sua casa em Orlando, na Flórida, quando fazia um reparo no ar-condicionado do sótão

Redação, O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2019 | 21h10
Atualizado 23 de novembro de 2019 | 11h27

O apresentador Gugu Liberato morreu nesta sexta-feira, 22, aos 60 anos, em Orlando, na Flórida, onde tinha uma residência. Ele havia sido internado em um hospital após sofrer um acidente na casa onde mora. Segundo comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa, Gugu sofreu o acidente na quarta-feira, 20. Ainda não há informações sobre o traslado do corpo para o Brasil, tampouco sobre velório e sepultamento.

Ele caiu de uma altura de quatro metros quando fazia um reparo no ar-condicionado no sótão da casa. De acordo com a nota, foi prontamente socorrido por uma equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center.

A nota diz ainda que Gugu deu entrada no hospital com um nível de consciência 3, estabelecido pela escala de coma de Glasgow (usada para medir o efeito das lesões celebrais).

Os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. "Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral", observa o texto.

A morte encefálica foi confirmada pelo Professor Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante da mãe do apresentador Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

O apresentador deixa a esposa e três filhos, João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sophia, de 15.

A carreira de Gugu Liberato

Discípulo de Silvio Santos, com quem trabalhou pela primeira vez ainda nos anos 1970, Gugu marcou época na TV brasileira à frente de programas como Viva a Noite (SBT), Sabadão (SBT), Domingo Legal (SBT) e o Programa do Gugu (RecordTV). Atualmente, ele era o apresentador do reality show Canta Comigo, também na Record. 

Em 1988, com cada vez mais destaque no SBT, Gugu chegou a assinar contrato para apresentar um novo programa na Rede Globo, mas Silvio Santos foi pessoalmente ao dono da emissora, Roberto Marinho, pedir a rescisão do acordo para que Gugu continuasse no SBT – o que acabou ocorrendo. Quem entrou em seu lugar na emissora carioca foi Fausto Silva.

Especialmente com o Domingo Legal, Gugu foi líder de audiência nas tardes de domingo entre o fim dos anos 1990 e 2003, vencendo o Domingão do Faustão e provocando mudanças na linha editorial do programa global, que deixou de exibir quadros como o "sushi erótico".

A Justiça também entrou no caminho do Domingo Legal em alguns momentos. Em 2000, proibiu a exibição da "Banheira do Gugu" (quadro em que homens e mulheres seminus brigavam para alcançar um sabonete em uma pequena piscina molhada) antes das 21h. (os advogados do programa recorreram, mas o horário acabou mudando de qualquer forma).

Foi também nessa época que o programa começou a investir mais em reportagens jornalísticas, o que consolidou sua liderança nos domingos no início do século. Mas o investimento gerou outro problema com a Justiça.

No dia 7 de setembro de 2003, o Domingo Legal exibiu uma "entrevista" com dois membros do PCC a bordo de um ônibus na capital paulista. Porém, após investigação, a polícia descobriu que a entrevista era falsa. Os responsáveis pela investigação disseram na época que os encapuzados entrevistados não eram integrantes da facção criminosa e receberam R$ 500 cada um para participar do programa. O programa foi proibido pela Justiça Federal de ser exibido no dia 21 de setembro.

O apresentador foi denunciado por crime de ameaça e por dois crimes de imprensa pelo Ministério Público de São Paulo. A Justiça autorizou um indiciamento, mas uma liminar o impediu. O SBT acabou multado em R$ 1,7 milhão (valores da época). Naquele ano, o SBT registrou um prejuízo de R$ 33,6 milhões.  Gugu fez um acordo financeiro de R$ 750 mil em 2005 para encerrar o processo.

Gugu também apareceu diversas vezes nos cinemas, principalmente em filmes da Xuxa e dos Trapalhões, como em O Casamento dos Trapalhões (1988) e Xuxa e os Duendes (2001). O apresentador também gravou alguns compactos (discos de vinil com uma música de cada lado). Baile dos Passarinhos e Docinho Docinho fizeram sucesso. Ele também chegou a fazer campanhas políticas para José Serra, do PSDB, nos anos 1990 e 2000.

Em 2009, ele saiu do SBT e foi para a Record TV (os números não oficiais estimavam que ele levaria R$ 3 milhões mensais). Em entrevista ao Jornal da Tarde no dia 30 de agosto de 2009, Gugu explicou sua mudança de emissora: "Minha decisão de ir para a Record foi baseada na oportunidade de trabalho que eles me ofereceram. O contrato envolve um plano de carreira promissor, ótimas oportunidades e condições de produção. Foram várias situações. Um plano de carreira, um contrato de oito anos, que não é comum na televisão, toda a estrutura de jornalismo oferecida, a cobertura internacional que teremos e o talk-show que vou fazer, inicialmente uma vez a por semana, na Record News. O próprio Silvio Santos me disse que se tratava de uma proposta irrecusável".

Gugu havia renovado o contrato com a emissora por mais três anos no início de 2019. "Estou muito feliz em comunicar que hoje renovei meu contrato com a Record TV. Agradeço a confiança de todos, especialmente do vice-presidente artístico e de programação, sr. Marcelo Silva", escreveu Gugu em seu Instagram na ocasião.

A notícia da morte de Gugu

A quinta, 21, já havia sido tensa para sua família, colegas, fãs de TV e admiradores do apresentador. 

A mãe de Gugu, Maria do Céu, embarcou em um avião às 10h de quinta-feira em direção a Orlando, e a orientação foi aguardar o comunicado oficial, finalmente marcado para as 21h. A nota informou que Gugu estava Unidade de Terapia Intensiva e vivo, sendo acompanhado pela equipe médica local.

No início de novembro, Gugu teve de usar as redes sociais para desmentir um boato sobre a própria morte. A página oficial do seu programa Power Couple Brasil no Instagram fez uma publicação falando que o apresentador havia morrido por conta de um enfarte.

Mas, na verdade, a conta do reality show havia sido invadida por hackers. “Pessoal, alguém publicou que eu tive um enfarte. É fake, tá? Estou muito bem, obrigado”, escreveu Gugu na página oficial dele no Twitter no dia 4 de novembro.

Veja a íntegra da nota emitida pela família de Gugu Liberato:

"NOTA DE FALECIMENTO

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de *Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.

Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças - que são muitas - e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz. 

Familiares e funcionários 

São Paulo, 22 de novembro de 2019

* Escala Glasgow de 3 - usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente."

Tudo o que sabemos sobre:
Gugu Liberatotelevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.