Edi Aguirre
Edi Aguirre

Coronavírus: Netflix cria fundo de 100 milhões de dólares para indústria do entretenimento

Calcula-se que 120 mil pessoas perderam seus empregos na indústria audiovisual apenas nos Estados Unidos.

Redação, AFP

20 de março de 2020 | 19h47

LOS ANGELES - A gigante do streaming Netflix anunciou nesta sexta-feira, 20, a criação de um fundo de 100 milhões de dólares para apoiar a indústra do entretenimento a superar a atual pandemia de coronavírus.

Esta crise sanitária "é devastadora para muitas indústrias, incluindo a comunidade artística", afirmou o diretor de conteúdo da empresa, Ted Sarandos, em um comunicado. "Quase toda a produção televisiva e cinematográfica cessou no mundo, o que deixou centenas de milhares de integrantes de produções sem emprego", ressaltou.

"São eletricistas, carpinteiros, motoristas, cabeleireiros e maquiadores, muitos dos quais recebem por hora e trabalham por empreitada", acrescentou. 

"Essa comunidade apoiou a Netflix nos tempos de faturas e queremos ajudá-los em uma época difícil, especialmente enquanto os governos ainda discutem sobre o apoio econômico que querem proporcionar. Dessa forma, criamos um fundo de 100 milhões de dólares para ajudar a comunidade criativa a superar essas dificuldades", afirmou o executivo.

Nesse sentido, explicou que o "grosso" do dinheiro "será destinado aos trabalhadores mais afetados em nossas próprias produções em todo o mundo", e que as condições exatas ainda estão sendo definidas.

Ele adiantou que 15 milhões de dólares deste montante serão destinados a organizações que "proporcionam ajuda a desempregados" da indústria em países onde a plataforma tem uma grande produção, como Estados Unidos e Canadá, mas também na América Latina e na Europa.

"Queremos apoiar mais amplamente a indústria do cinema e da televisão em geral", apontou Sarandos.

As organizações que receberão os fundos serão anunciadas na próxima semana.

Se, de um lado, as medidas de contenção que diversos países vêm tomando para frear a propagação do coronavírus devem aumentar os acessos à plataforma da Netflix, as produções de Hollywood em todo o mundo estão praticamente paralisadas. 

Calcula-se que 120 mil pessoas perderam seus empregos na indústria audiovisual apenas nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Netflixcoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.