DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante
Cristina Padiglione, O Estado de S. Paulo

25 de dezembro de 2015 | 03h00

O Multishow fecha 2015 como seu melhor ano, entre os últimos sete calendários, como o 7.º canal mais visto da TV paga, posição que não ocupava desde 2011. Dentro da aposta música + humor, os títulos que mais contribuíram para tanto foram o Vai Que Cola (a 3.ª temporada bateu os recordes das anteriores, alcançando 60,7 milhões de telespectadores), Os Suburbanos (série em parceria com a Globo, protagonizada por Rodrigo Sant’anna, pronto para uma 2.ª temporada em 2016) e Tudo Pela Audiência (com Fábio Porchat e Tatá Werneck, também com nova temporada garantida para o ano que vem). Some a isso a boa performance de transmissões ao vivo dos mais variados shows e festivais, com ênfase para o Rock In Rio.
Experiências que não funcionaram este ano podem se listadas com Partiu Shopping, com Tom Cavalcante, A Grande Farsa, com Ceará, e  Acredita na Peruca, com Luiz Fernando Guimarães. Nenhum desses terá direito a novas temporadas, mas Tom (em adiantadas gravações) e Ceará já engatam outras ideias em novos programas para o canal em 2016. O ano que vem também reserva nova parceria com a Globo, com uma volta do Casseta & Planeta em série, e Tá Rindo de Quê, série nova com Rafinha Bastos.
No quesito musical, os méritos não deixaram a desejar. Durante a média dos sete dias do Rock in Rio, o Multishow liderou o ranking de audiência dos canais pagos. Mais de 16,5 milhões de pessoas passaram pelo canal durante as 80 horas de transmissão – o que equivale a mais de 27% da base de assinantes.

Presença. Fernando Henrique Cardoso participa do Manhattan Connection pela 7ª (ou 8ª vez: nem Lucas Mendes sabe precisar), em cena gravada em São Paulo, ao lado de Ricardo Amorim. Aos 85 anos, o ex-presidente dá suas dicas de vitalidade. Conta que namora, lê muito, bebe vinho e se exercita. Domingo, às 23h, na GloboNews.
Saudade da Globoleza? A Globo mal espera a primeira semana do ano para colocar no ar as novas vinhetas com Erika Moura.
Dessa vez, a moça vem sambando em um palco branco circular, sob luzes de led coloridas e bolhas de sabão. E a pintura do corpo é feita de faixas retas que formam outros desenhos quando ela dança.
O ‘Profissão Repórter’ fechou o ano com 12 pontos de média total, 1 pontinho a mais que em 2014. Parece pouco, mas tem grande relevância, dentro da curva descendente da audiência geral da Globo.
Caco Barcellos e equipe entram em recesso de férias, mas têm vaga certa para 2016, sem perder o tom pluralista que marca o Profissão. 
25 pontos de média, na Grande São Paulo, rendeu o especial da vez de Roberto Carlos, quarta-feira. A Globo foi sintonizada por 47% dos televisores ligados. No Rio, a média foi maior, com 28 pontos
"Feliz Natal pra todo mundo galera! Inclusive para aqueles que me odeiam. Vamos ser feliz (sic)!!!” Neto, EX-JOGADOR E COMENTARISTA DA BAND, NO TWITTER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.