Fox
Fox

Clayne Crawford, da série 'Máquina Mortífera', se desculpa por seu 'mau comportamento'

'Lamento muito se minha paixão por fazer um bom trabalho tenha feito alguém se sentir pouco à vontade'

Emily Yahr, Washington Post

30 Abril 2018 | 11h34

É nessa época do ano que as redes de TV estão decidindo quais programas manter e quais eliminar - então os atores preferem não dar aos executivos razões para se decidirem pela segunda opção.

No entanto, na segunda-feira, o Deadline Hollywood informou que Clayne Crawford, uma das estrelas do drama Máquina Mortífera tornou-se um tal problema no set que "ameaçava o futuro do programa" e que uma possível reformulação dos personagens estava "sendo explorada".

"Fiquei sabendo que Crawford teve uma história de mau comportamento no programa, e que recebeu alertas várias vezes por causa queixas de abuso emocional e por criar um ambiente hostil", escreveu a repórter Nellie Andreeva. "Ouvi dizer que a questão se intensificou a tal ponto que outros atores, bem como a equipe de Máquina Mortífera, se sentiriam pouco à vontade de em estar no set com ele."

Máquina Mortífera deve encerrar sua segunda temporada nos EUA em 8 de maio, e foi inicialmente considerada uma renovação fácil para a Fox, com uma média de 7 milhões de telespectadores por semana. Baseada nos filmes de sucesso da década de 1980, Crawford estrela como o detetive Martin Riggs (originalmente, papel de Mel Gibson) e Damon Wayans como o detetive Roger Murtaugh (originalmente, Danny Glover). Mas a TVLine - da mesma empresa que a Deadline - sugeriu no mês passado que "tornou-se impossível trabalhar" com um ator não identificado em uma série popular, "e seus problemas comportamentais estão levando a rede e o estúdio a repensarem se trarão a série de volta". (O site TVLine revelou segunda-feira que o ator era Crawford.)

Na tarde de terça-feira, Crawford divulgou um comunicado no Instagram e confirmou que ele foi repreendido duas vezes, recentemente, nesta temporada. A primeira vez foi depois que ele reagiu com raiva "por causa de condições de trabalho nas quais não se sentia seguro ou que favorecessem um bom trabalho sob a liderança de um diretor e de um assistente de direção". Depois disso, escreveu ele, reuniu-se com funcionários de recursos humanos e pediu desculpas; e a pedido do estúdio, Warner Bros., ele completou uma terapia e deu parte de seu salário a "uma das partes envolvidas".

O segundo incidente, disse Crawford, ocorreu quando ele estava dirigindo um episódio recente, e um ator foi atingido por um estilhaço. Ele disse ter assumido total responsabilidade.

"Eu amo muito, respeito e cuido da minha equipe e do elenco e jamais colocaria em risco intencionalmente tantos empregos. Além disso, adoro o processo de fazer cinema e televisão. Aprecio e respeito o trabalho de todos os envolvidos", escreveu Crawford. "É preciso muita dedicação e lamento muito se minha paixão por fazer um bom trabalho tenha feito alguém se sentir pouco à vontade em nosso estúdio, ou se sentir menos aplaudido por seus esforços. Além disso, peço desculpas a toda a equipe e qualquer atenção negativa que Máquina Mortífera esteja recebendo por causa desses incidentes. "

"Tenho muito orgulho por tratar todos na vida com dignidade e gentileza", concluiu ele. "Sou muito grato pelo meu trabalho, e dedico-me muito a ele. Tenho a responsabilidade de fazer um bom trabalho para meus colegas de trabalho, para minha família, para meu estado natal, e mais especialmente para os fãs. Espero que eles fiquem comigo, e fiquem com o programa".

Embora nenhuma decisão tenha sido tomada sobre o futuro de Máquina Mortífera, a Fox apresentará sua programação de outono para anunciantes em Nova York em 14 de maio. Nem a Fox nem a Warner Bros. comentaram a recente reportagem da Deadline ou a declaração de Crawford./ Tradução de Claudia Bozzo

 

Mais conteúdo sobre:
Mel Gibson Danny Glover Clayne Crawford

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.