Chega a hora de sacudir a poeira em 'Duas Caras'

Trama das 9 passa por mudanças e personagens mostram sua outra cara

Shaonny Takaiama, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2007 | 20h52

Está escrito nas estrelas ou melhor, no script. Os astros prometem mudanças na vida dos personagens de Duas Caras. Em 2008, eles farão jus ao nome da novela, provando que na trama de Aguinaldo Silva todo mundo é ambíguo.Haverá uma grande virada na vida de Dália (Leona Cavalli). Depois de sofrer maus-tratos do ex-marido Ronildo (Rodrigo Hilbert), sobreviver a uma overdose e ser internada em uma clínica de reabilitação, ela dará a volta por cima como carnavalesca da escola de samba Nascidos da Portelinha. "A transformação da Dália foi uma mudança pela arte, agora ela está numa face mais luminosa", diz Leona. "O que me deixa feliz é a possibilidade de mostrar que uma pessoa com dependência pode melhorar". A vida de Zé da Feira (Eri Johnson) também terá uma reviravolta. Depois de muita hesitação, ele vencerá - pelo menos por enquanto - sua luta contra o álcool e se tornará um sambista famoso. "Se ele (Zé da Feira) tivesse o que falar pra todo mundo, ele diria: 'Eu quero, eu posso, eu tenho.' Ele quer se livrar da bebida, ele quer se tornar um cantor conhecido e reconhecido e ele tem a oportunidade de fazer isso", resume Johnson.Já com Benoliel (Armando Babaioff), os dias de sofá chegaram ao fim. Depois de anos sem trabalhar, ele vai à luta e consegue seu primeiro emprego. "As pessoas no início da novela me falavam: 'Você é muito preguiçoso!' Agora, as pessoas na rua me falam: 'Que exemplo bonito que você está dando!' Quando o Benoliel receber o seu primeiro salário vai ser uma cena linda."AlavancaAguinaldo Silva é categórico em dizer que as mudanças na trama não foram feitas para alavancar o ibope da novela. "Tudo estava previsto na sinopse, menos a destruição da uisqueria", diz o autor.Segundo ele, todos os personagens mostrarão seu outro lado. "Todo mundo vai mostrar ter duas caras porque esse é o tema da novela, a ambigüidade do ser humano, o conflito entre o bem o mal", observa.A transformação mais significativa para Aguinaldo será a da personagem Gioconda (Marília Pêra). Depois de se ver no meio de um tiroteio na Portelinha, ela começará a fazer reuniões em casa para tentar diminuir a desigualdade social. "A virada da Gioconda é a que mais me emociona porque essa mulher era uma dondoca e vai começar a liderar movimentos da classe média para lutar contra a violência e o descaso das autoridades", conta o autor.Até Evilásio (Lázaro Ramos) vai entrar na dança. Ele enfrentará o poder até então incontestado de seu padrinho, Juvenal Antena (Antônio Fagundes). "Ele foi criado para ser o herói da novela e vai mostrar para aquela gente que eles não precisam de um paizão, que cada um pode ter o seu destino", explica Aguinaldo.MutantesDália (Leona Cavali) - De drogadinha vai se transformar em artista. Será a carnavalesca da escola de samba Nascidos da PortelinhaBenoliel (Armando Babaioff) - Por amor a Fernanda (Júlia Almeida), o rapaz decide pegar no batente e largar de vez o sofáGioconda (Marília Pêra) - De perua ricaça e alienada a uma mulher engajada e preocupada com o descaso das autoridades. Grande virada.Zé da Feira (Eri Johnson) - "Ele é um à toa com muito talento", resume o ator. Depois de muitos porres, o feirante finalmente irá gravar um CDEvilásio (Lázaro Ramos) - Vai deixar de ser o cordeirinho que sempre foi e enfrentará os desmandos de seu padrinho, Juvenal AntenaAguinaldo Silva (autor) - "Eu tenho várias caras. Atualmente, a minha cara é a do Aguinaldo trabalhador, que acorda às 5 h para escrever novela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.