Cenas de um folhetim frenético

Duas Caras tem homossexualismo, racismo, esquerdismo, neoliberalismo, todos os ismos. Polêmicas que estão a toda hora nos jornais e que, parecem ampliadas num capítulo de novela das 9, como se quisessem chacoalhar o telespectador mais amortecido. Autor de sucessos como Senhora do Destino (2005), Aguinaldo Silva se mantém na trincheira para defender a sua mais ambiciosa novela. As pedradas são muitas, e o autor não é de deixar pergunta sem resposta.Logo no começo, ele apresentou um vilão que passa por uma cirurgia plástica para mudar de identidade, inspirado em José Dirceu. Escalou um "Romeu negro" que, por incrível que pareça, é novidade. Pôs a dançarina no poste, escandalizou além da conta, teve de tirar. Mas deu uma cama para três e - surpresa! - agradou.   Assim é o laboratório de Aguinaldo, onde a graça é cutucar a audiência com vara curta. "O que dou é minha visão pessoal dos fatos e minha opinião a respeito deles. É o que todo criador faz", admite ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.