Cartas

Clodovil era um tanto maluco, todos sabem, mas não dá para negar que seu estilo marcou para a TV brasileira. Polêmico e culto, tinha resposta para tudo e sabia como dar uma boa alfinetada. Vai fazer falta.

O Estado de S.Paulo

29 de março de 2009 | 02h08

Elizabeth Skine

São Paulo, SP

Um circo. É isso que a Globo está armando em torno de todos os jogos de Ronaldo no Corinthians. Até entendo a cobertura diferenciada que toda a imprensa está dando ao craque, mas a Globo esquece, várias vezes, de mostrar lances importantes dos jogos para filmar Ronaldo no banco, coçando o nariz, fazendo careta. Prioridade patética.

Jorge Ignácio Delério

jorgedel@hotmail.com

Adoro a Patrícia Poeta, mas não entendi o que ela pretendia na entrevista com a mãe de Isabella Nardoni no último Fantástico. Em todo momento, Patrícia fazia perguntas que provocavam o choro desenfreado na moça, que mal se recompunha e já caia em lágrimas novamente com questões como: "Qual a última lembrança de sua filha?" e "Você pensa na Isabella todos os dias?". Triste exploração.

Janaína Racero Santos

São Paulo, SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.