Brasil terá os canais AMC e Sundance

Presidente das emissoras conta que séries originais serão exibidas no País e conteúdo sob demanda não terá custo adicional

João Fernando, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 19h37

Em tempos de um line up que ultrapassa uma centena de canais, mais um chegará ao País este ano. Conhecido por lançar as séries de sucesso Breaking Bad, The Walking Dead e Mad Men, a emissora norte-americana AMC começará a operar no Brasil no último trimestre de 2014 e ocupará o lugar no MGM, que exibe filmes. A transição, porém, será gradual.

“Há muitos fãs do MGM, por isso vamos manter alguns títulos na programação. Porém, teremos produções originais novas”, avisa o presidente global da AMC, Bruce Tuchman, que veio a São Paulo esta semana. Disponível apenas nos EUA e Canadá, o AMC (American Movie Classics) será lançado no País antes do restante da América Latina. “O Brasil é um dos melhores mercados de TV paga no mundo”, justifica.

Apesar da novidade, as próximas temporadas de Mad Men e The Walking Dead permanecerão na HBO e Fox, respectivamente. “Não vamos mudar. O público já se acostumou a ver nesses canais”, explica Tuchman. “Mas nós teremos nossas produções originais por aqui, como a nova Halt and Catch Fire”, adianta ele, citando a série lançada em junho, nos EUA. A trama, ambientada nos anos 1980, aborda a revolução da chegada dos computadores pessoais pelos olhos de um engenheiro visionário, que bate de frente com os interesses da empresa em que trabalha.

Bruce Tuchman diz estar ciente da lei da TV, que obriga os canais fechados a exibirem produções brasileiras independentes. “Vamos seguir as regulamentação. Não queremos que isso seja um problema. Entretanto, ainda é cedo para falar sobre o que vamos produzir por aqui”, disse ao Estado.

O AMC vai investir em tecnologia. “Queremos trabalhar em todas as plataformas possíveis. Vamos oferecer o conteúdo em sob demanda, na internet e em dispositivos móveis. A ideia é que não haja custo adicional para os assinantes. Assim como fazemos nos EUA”, garantiu o executivo. Ele só não promete ainda a exibição por aqui de Better Call Saul, série derivada de Breaking Bad, cuja estreia é muito aguardada nos EUA. “Como é uma coprodução com a Sony, não posso falar por eles.”

Além do AMC, Tuchman será responsável pelo lançamento do canal Sundance, de filmes independentes e documentários, que ocupará uma posição nova no line up. “Nele também teremos produções originais, como a série Rectify”, conta. A atração em questão conta a história de Daniel (Aden Young), um jovem que passou anos preso, acusado de estupro. Porém, com a evolução da pesquisa de DNA, sua trajetória pode mudar.

O executivo, que já integrou o conselho do Telecine – o canal é uma associação de estúdios, que incluiu o MGM – é entusiasta do cinema nacional. “Gosto muito daquele diretor que fez Robocop (José Padilha). E Cidade de Deus está entre meus filmes preferidos. Vocês não seguem a fórmula dos filmes norte-americanos. É uma experiência ótima para compartilhar pelo mundo”, derrete-se. 

Tudo o que sabemos sobre:
TelevisãoAMCSundanceBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.