AFP
AFP

Bill Cosby diz que deu sedativo à mulher para ter relações sexuais

Astro da televisão é acusado de estupro por 20 garotas

AFP, O Estado de S. Paulo

07 Julho 2015 | 21h17

O astro da televisão Bill Cosby, acusado de estupro por quase 20 mulheres, admitiu em um documento legal ter fornecido um forte sedativo a pelo menos uma vítima para ter relações sexuais com ela.

Na transcrição de seu depoimento de 2005, que só foi divulgado nesta segunda-feira pelas autoridades americanas no site pacer.gov, Cosby admite que deu Quaalude, sedativo e hipnótico, a pelo menos uma mulher em 1976.

Cosby foi interrogado em setembro de 2005 por Dolores Troiani, advogada de Andrea Constand, ex-diretora do departamento de basquete da Universidade Temple, na Filadélfia, onde Cosby estudou e foi integrante da direção. O comediante deixou o posto em dezembro do ano passado, quando as acusações de estupro contra ele aumentaram consideravelmente.

Constand apresentou uma denúncia por estupro em 2005, mas o caso foi arquivado pelo tribunal por evidências insuficientes.

Os advogados de Cosby conseguiram bloquear por vários anos a divulgação das transcrições, mas a confidencialidade acabou na segunda-feira. Durante o diálogo entre Cosby e Troiani, o ator admitiu que conseguiu receitas para obter Quaalude.

Troiani perguntou se ele havia dado a droga a outras pessoas e Cosby respondeu "Sim". Ao ser questionado se quando "conseguiu os Quaaludes tinha em mente utilizá-los com jovens mulheres com as quais desejava ter sexo", Cosby respondeu "Sim".

Mas ele disse ter confundido "women" com "woman" (mulheres e mulher) e afirmou: "Eu entendi errado. Mulher, apenas T ...., e não mulheres", afirmou.

Mais tarde, no depoimento, Cosby afirma: "Conheci a senhorita (T, cujo nome não aparece no documento para proteger o anonimato da suposta vítima) em Las Vegas (em 1976). Ela veio me ver no camarim. Eu dei o Quaalude. Nós fizemos sexo".

Mais conteúdo sobre:
Bill Cosbytelevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.