REUTERS/Eric Gaillard
REUTERS/Eric Gaillard

Ben Stiller fica mais profundo ao contar uma fuga real de prisão

Ator dirige a minissérie ‘Escape at Dannemora’, que lembra como dois condenados escaparam por um bueiro em NY

Michael Wilson / NYT, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2018 | 18h50

Então, um roteirista, um fotógrafo, o promotor público de Clinton County, em Nova York, e Ben Stiller aparecem juntos em uma esquina de uma pequena cidade para olhar um bueiro. A cena inusitada tem um motivo especial. Foi nesse local que ocorreu, em 2015, uma fuga espetacular, que recebeu grande atenção da mídia americana, e ainda inspirou a minissérie Escape at Dannemora

Em cartaz no canal Showtime desde novembro, a minissérie Escape at Dannemora (Fuga em Dannemora) conta a fuga de dois condenados da prisão de segurança máxima Clinton Correctional Facility.

Estrelada por Benicio Del Toro e Paul Dano, que vivem os presos Richard Matt e David Sweat, condenados por homicídio a 25 anos e à prisão perpétua, respectivamente – que escaparam da penitenciária – série mostra as semanas de verão na caça aos homens nas densas florestas do norte de Nova York, perto da fronteira canadense. 

Dividida em sete episódios, atração também traz a atriz Patricia Arquette, quase irreconhecível após ganhar 18 quilos, como Joyce Mitchell, a funcionária da prisão que teve envolvimento romântico com a dupla de presos e os ajudou a fugir. A direção de Escape at Dannemora coube a Ben Stiller, mais conhecido por seu trabalho à frente e atrás das câmeras em suas comédias, incluindo os filmes Zoolander e Trovão Tropical

Dois roteiristas, Brett Johnson e Michael Tolkin, estavam trabalhando na série Ray Donovan na época em que os detentos desaparecidos foram encontrados, em 2015. Eles acharam os detalhes sensacionais e fascinantes: os presos David Sweat e Richard Matt serraram paredes meticulosamente e um espesso e largo cano de vapor sob a enorme prisão e emergiram no bueiro mais próximo de onde estavam. As serras e outras ferramentas que eles usaram vieram de Mitchell, que planejava matar seu marido e fugir para o México com os condenados, mas mudou de ideia.

Os roteiristas começaram a trabalhar no texto mesmo com a caçada se arrastando naquele verão. Então, em 26 de junho, os policiais encontraram Matt fora de um trailer na floresta e o mataram. Sweat foi capturado dois dias depois. Mitchell e um oficial de correções, Gene Palmer, interpretado por David Morse, foram presos e acusados de ajudar na sua fuga.

Um ano depois, o escritório do inspetor-geral do Estado divulgou um relatório com detalhes da fuga e a negligente supervisão da prisão, que permitiu que os internos trabalhassem sem serem notados por vários meses.

“Vejo isso como um romance”, revelou Ben Stiller, que estreia como diretor de drama na minissérie. Os roteiristas acharam material e entrevistas com os envolvidos que eram melhores do que qualquer coisa que poderiam ter inventado. “Foi tão estranho, o trailer e aquele recanto na floresta”, contou ainda o diretor. Ele filmou no trailer e recriou os segundos finais de Richard Matt exatamente no mesmo local.

Stiller e o elenco também visitaram a prisão e viram as celas. “Os atores disseram que visitar a prisão era como ‘ler 10 livros’”, lembrou Paul Dano. 

Stiller e o elenco se encontraram com Sweat atrás das grades em uma prisão diferente. Ele falou de seu relacionamento com Matt, o encantador, que conseguiu a ajuda e as ferramentas de Mitchell. Sweat foi o engenheiro que fez o trabalho.

Del Toro acha que Matt era o tipo de detento que acaba ficando “mais à vontade na prisão”, e que talvez sempre soubesse que seria capturado. “Se ele voltasse, ele teria essa história de uma vida inteira”, acrescentou. “Uma tremenda história.” / TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO

Mais conteúdo sobre:
Ben Stiller

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.