Babá faz extra

No Dia da Criança, saiba onde estão as maiores platéias infantis da TV, às vezes em hora imprópria

Keila Jimenez, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2008 | 22h19

Nem Xuxa, nem o bom e velho Pica-pau, muito menos a aposta da vez, a encaracolada Maísa. Entre os programas com maior platéia infantil atualmente estão A Favorita, Domingo Legal, Raul Gil, Pânico na TV! e Os Mutantes.   Veja também: Audiência de pijamaDe olho no ibope, não é nada desprezível a fatia de público com idade entre 4 e 11 anos dessas atrações. É simples. O público dos repetecos do educativo Castelo Rá-Tim-Bum é composto por 48% de crianças, no entanto, com um percentual muito menor, a novela das 9 da Globo encheria mais estádios com seus telespectadores mirins do que o programa infantil. Por quê? A Favorita alcança um universo muito maior de domicílios e, com isso, sua fatia infantil representa mais crianças. A conta incomoda algumas emissoras e não chega a ser problema, mas é um alerta.Basta dar uma olhada nas atrações com maior platéia infantil das redes abertas para se ter uma idéia do menu dos pequenos na telinha. "Isso é reflexo da falta de oferta de atrações para eles na TV aberta", fala Beth Carmona, ex-dirigente da TV Cultura e da TVE , e presidente da ONG que debate a qualidade da mídia, Midiativa. "Durante um tempo se imaginou que criança só existe na TV durante a manhã, como se elas sumissem depois do meio-dia. Mas basta olhar a programação para ver que elas estão aí, sintonizadas em todos os horários."Foi de olho justamente nisso que Tiago Santiago fez a segunda parte da saga de Os Mutantes na Record. "Tinha certeza de que iríamos continuar a ter público fiel na faixa infanto-juvenil. Pelo Orkut recebo diariamente mensagens de crianças que querem ser mutantes e amam a novela", conta o autor. "Apesar de a novela ter classificação para 12 anos, tomo cuidado com conteúdo, justamente por causa das crianças. Há lutas, mas sempre estilizadas como nos desenhos animados, representando o confronto simbólico entre o bem e o mal. É um clima infinitamente mais ameno que os telejornais diurnos e vespertinos."OsmosePara o diretor de marketing publicitário do SBT, Manoel Mauger, essa platéia infantil em programas adultos realmente impressiona, mas não preocupa. "É claro que novelas e noticiários também têm uma fatia grande de crianças, mas muito mais porque os pais estão assistindo e eles estão lá, ao lado," fala. "A maquininha do Ibope calcula que a criança está na sala na frente do programa , mas não vigia se está prestando ou não atenção no que está no ar, se saiu para brincar em outro cômodo..." No entanto, salienta Mauger, há programas adultos que despertam mesmo o interesse dos pequenos. "O Domingo Legal tem quadros que fascinam mesmo os pequenos", conta ele. "Sei que aparece público infantil também em Pantanal, mas não acredito que as crianças gostem e se concentrem na novela de fato."Para Beth Carmona, o nível de compreensão das crianças em relação a programas adultos é realmente diferente. "Nem sempre ela entende o que está no ar, o que não quer dizer que não tem problema assistir."Mesmo assim, a especialista acredita que a proibição não é a solução. "Muito se discute sobre a influência da TV no comportamento infantil, e eu não acredito em radicalismos", continua. "Claro que não temos de deixar as crianças serem bombardeadas por conteúdo ruim, mas não podemos esconder o mundo lá fora delas", continua. "Ainda mais com essas novas mídias, em que as informações vêm de todos os lados. A questão é mais ?como? e ao lado ?de quem? ela assiste a esses programas, do que o conteúdo em si."  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.