Steven Senne/AP
Steven Senne/AP

Autoridades retiram processo contra Kevin Spacey por atentado ao pudor e agressão sexual

Segundo promotor do caso, decisão se deve à 'falta de disponibilidade da testemunha que apresentou a denúncia'

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2019 | 03h21

NOVA YORK - As autoridades retiraram um processo contra o ator americano Kevin Spacey por atentado ao pudor e agressão sexual contra um jovem em Massachusetts, em um caso que acabou enfraquecido pela própria suposta vítima.

A decisão era esperada após a audiência de 8 de julho, durante a qual a suposta vítima da agressão decidiu manter silêncio para não se incriminar.

Em carta dirigida ao juiz, o promotor da ilha de Nantucket - onde teria ocorrido os fatos - justificou sua decisão "devido à falta de disponibilidade da testemunha que apresentou a denúncia".

Foi nessa ilha que Kevin Spacey, o protagonista de House of Cards e do premiado filme American Beauty, em julho de 2016, teria tocado as partes íntimas de um jovem de 18 anos, funcionário de um bar, após convidá-lo para uma bebida. A denúncia por atentado ao pudor e agressão contra Kevin Spacey ocorreu no final de 2018, após o surgimento de várias outras acusações de agressão sexual contra jovens que seguiu os passos do movimento #MeToo.

Nenhuma das outras acusações, tanto nos Estados Unidos como em Londres, levou a um processo penal. No caso de Massachusetts, o celular da suposta vítima era chave: o jovem o utilizou para gravar a suposta agressão e para comentar com a namorada e um grupo de amigos o ocorrido. Mas o telefone que a defesa queria examinar desapareceu.

Consultado sobre o que fez com o telefone e as mensagens na audiência de 8 de julho, o jovem garantiu que não apagou nada, mas quando foi advertido de que qualquer manipulação do telefone poderia significar um processo contra ele, a suposta vítima recorreu à Quinta Emenda da Constituição, que permite a ele manter silêncio para não se incriminar.

A mãe do jovem, a apresentadora de televisão Heather Unruh, admitiu ter apagado algumas imagens do telefone que poderiam envergonhar seu filho antes de entregá-lo à polícia, mas garantiu não ter alterado nada ligado à suposta agressão de Kevin Spacey. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.