AFP PHOTO / DPA / RALF HIRSCHBERGER
AFP PHOTO / DPA / RALF HIRSCHBERGER

Audiência do Oscar cai 16%, para 36,6 milhões de pessoas nos EUA

Evento tem a maior audiência não esportiva da TV dos EUA, mas o show deste ano atraiu o menor número de espectadores desde 2009

ERIC KELSEY, REUTERS

24 de fevereiro de 2015 | 09h03

A transmissão da cerimônia do Oscar no domingo à noite pela rede ABC atraiu 16% menos telespectadores do que no ano passado, mostraram dados da Nielsen. O que pode ser explicado pelo que os críticos disseram ter sido uma longa e enfadonha apresentação, assim como pelo fraco desempenho em bilheterias dos principais indicados.

Os dados da Nielsen mostraram que a audiência ficou em 36,6 milhões de pessoas nos Estados Unidos, uma preocupante queda para a ABC, que pertence à Walt Disney, já que o evento é sua maior atração anual.

A ABC bancou o ator Neil Patrick Harris, elogiado por seu desempenho como apresentador das premiações de TV Emmy e de teatro Tony, para incrementar ainda mais o impulso dado pela comediante Ellen DeGeneres, que ajudou a atrair os 43,7 milhões de telespectadores que sintonizaram a cerimônia do Oscar no ano passado, a maior audiência desde 2000.

A apresentação do Oscar atrai anualmente a maior audiência não esportiva da TV dos EUA, mas o show deste ano atraiu o menor número de telespectadores desde 2009.

Harris, de 41 anos, que possui um grande número de fãs entre os jovens por ter sido um dos astros do sitcom How I Met Your Mother, foi visto como uma possível ponte entre os espectadores mais velhos e as audiências mais jovens, as mais perseguidas pelos anunciantes.

Os produtores Craig Zadan e Neil Meron, agora em sua terceira temporada à frente da cerimônia do Oscar, apostaram em grandes números musicais, como o tributo de Lady Gaga à música tema de A Noviça Rebelde e uma abertura cheia de som e dança, mas que falhou em extrair uma grande ovação da plateia repleta de celebridades.

Tudo o que sabemos sobre:
Oscar 2015Prêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.