Ator Nick Wechsler fala sobre seu papel em ‘Revenge’

Ele interpreta um amigo de infância da protagonista que fica entre o bem o mal; próxima temporada estreia nos EUA em setembro

Pedro Caiado, Especial para O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2014 | 02h00

MONTECARLO - Revenge é a série que conseguiu alcançar o mesmo índice de audiência que Lost nos EUA, comprovando o apelo que tem o tema vingança. No Brasil, a terceira temporada é exibida pelo canal Sony – e recentemente foi ao ar na Globo também. A série conta a história de Emily Thorne (ou Amanda Clarke), uma filha que busca vingança contra as pessoas que incriminaram e assassinaram seu pai – recém-descoberto vivo na ultima temporada.

Em entrevista ao Estado, durante o último Festival de Televisão de Montecarlo, Nick Wechsler, o ator de 35 anos que vive o amigo de infância de Emily na trama, revelou que prefere o que os fãs mais temem. “Acho que o melhor caminho é manter os dois separados, sem envolvimento amoroso. Talvez no fim do seriado”, afirmou. 

Em Revenge, seu personagem Jack Porter, inicialmente um bom moço, tem se tornado cada vez mais entrelaçado com o mundo de vingança de Emily Thorne, uma ideia que tem agradado ao ator. “Prefiro representar o lado mais sombrio do que o bonzinho, por isso a série está se tornando mais interessante para mim”, disse ele, acrescentando não ser muito diferente de Jack. “Sou mais cínico e julgador. Meu personagem confia nas pessoas; eu mantenho sempre meu pé atrás.”

Wechsler defende que há mais liberdade quando interpreta vilões. “Na série, há muita pressão para que Jack seja bonzinho o tempo todo, talvez seja da emissora ou dos criadores”, afirmou. “Quero reagir da maneira mais sombria, como no fim da segunda temporada, mas, por causa dessa pressão, eu não posso.”

Questionado se seria a hora de Jack ter sua própria vingança, ele se anima: “Claro! Quero ver isso! Não vimos isso na terceira temporada, mas se justifica porque ele se envolve com a história dela.”

O ator de 1,70 m de altura e rosto de galã confessou não ter a mesma autoconfiança de Jack. “Não sei como estou fazendo o que eu faço. Sou um cara tímido e reservado. Eu me critico frequentemente e não consigo me ver na TV”, revelou. “São raros os momentos em que acho que estou fazendo a coisa certa.” Sobre o grande apelo da série no Brasil, o americano do Estado do Novo México disse: “Não sou muito bom com Twitter e essas ferramentas. Não consigo responder a todos, mas leio tudo. Há uma base de fãs brasileiros”. 

A quarta temporada, que estreia em setembro nos EUA, promete revelar mistérios. Wechsler garantiu saber pouco, mas está entusiasmado. “Eles não me contaram muito. Não tenho ideia de como o Jack irá reagir com o retorno de David Clarke. Provavelmente, terei algumas cenas com ele em algum momento. Jack quer justiça e seus sentimentos por Emily vão levá-lo a situações moralmente complexas.”

Com extensa carreira na TV, o ator prevê mudanças drásticas no mercado. “Agora que você pode acessar as séries instantaneamente com serviços como Netflix, a maneira de se pensar TV vai mudar.” Wechsler – cujo último grande sucesso do ator fora há mais de uma década, na série teen Roswell – confessa também querer fazer comédia em breve. “Meus programas favoritos são Arrested Development e The Office.”

O sucesso da série de TV está prestes de se tornar quadrinhos da Marvel. Revenge: The Secret Origin of Emily Thorne revelará as origens da personagem no estilo mangá e será lançado em setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
TelevisãoRevenge

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.