Divulgação
Divulgação

Astro de 'Barrados no Baile', Jason Priestley volta em nova série

Sony anuncia estreia de 'Call Me Fitz' e mais quatro seriados novos em sua programação

Ana Clara Jabur, Estadão.com.br

22 de setembro de 2010 | 18h07

A Sony anunciou nesta quarta-feira (22) o lançamento de cinco novas séries, que devem ir ao ar em outubro. Entre os lançamentos, o destaque é Call me Fitz, que traz Jason Priestley de volta à TV em um papel principal.

O ator fez sucesso nos anos 90 como o bom moço Brandon Walsh em Barrados no Baile. Na trama atual, que em nada lembra o longínquo seriado adolescente, Priestley é Richard Fitzpatrick, um vendedor de carros conquistador e arrogante totalmente sem escrúpulos. À beira da falência, ele tem que lidar com um sócio certinho que pretende ser sua consciência, e vai tentar obrigá-lo a mudar. No episódio de estréia Call me Fitz dá o seu recado: piadas ácidas cheias de sarcasmo, cenas de nudez e drogas, além do constante questionamento moral.

Nascido no Canadá e com 30 anos de carreira, Priestley também é produtor e diretor do novo seriado. A série independente é rodada em Halifax, capital da província canadense de Nova Escócia, e distribuída por lá pela HBO. O elenco ainda conta com Ernest Grunwald (Larry) e Peter Macneil (Ken Fitzpatrick). Call me Fitz estréia no canal pago no dia 7 de outubro, às 21h, duas semanas após ir ao ar nos EUA.

Outra aposta da Sony é No Ordinary Family, com estreia marcada para o dia 8 de outubro, às 21h. Um drama com pitadas de humor, conta a história da família Powel, que depois de um acidente aéreo na Amazônia, adquire superpoderes que vão mudar sua maneira de lidar com o mundo. O clichê 'pessoa comum se transforma em heroi' vem acompanhado de um enredo simpático, com piadas rápidas e um toque de drama familiar inteligente.

O canal também anuncia as estreias de Gary Unmarried (9 de outubro, às 16h), Parks & Recreation (9 de outubro, às 22h30), e Royal Pain (10 de outubro, às 19h).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.