Aquele pôster do Dylan McKay...

Você sabe que está ficando velha quando: 1) Tenta esquecer que, nos anos 90, tinha um pôster do Dylan McKay na parede do quarto. 2) Passa a achar o topete do Brandon Walsh a coisa mais detestável do mundo. 3) Cai na real e vê que a Donna Martin era muito feia. 4) Decide assistir à nova versão de Barrados no Baile por nostalgia. 5) Abre um sorriso quando o Peach Pit aparece no remake. Todas as alternativas se aplicam a qualquer fã antigo de Barrados no Baile. Porém, meu maior atestado de velhice ao assistir ao piloto do novo 90210 nem foi assim tão na cara, como recordar as calças semi-bags de Brenda, os bolerinhos bufantes de Donna ou os vestidos florais à la grunge de Kelly. Foi bem pior por ter sido um sentimento natural e inevitável. Em vez de suspirar pelos bonitões do colégio Beverly Hills High, como o novo Brandon, o novo Dylan, o novo Steve - bem, o Steve não, pois até o velho Steve era impaquerável -, me peguei apaixonada pelo pai do novo Dylan, pelo professor do novo Brandon... Bom, o Rob Estes, que interpreta o diretor da escola no remake, nem conta muito, afinal, ele sempre foi superpaquerável, desde Melrose Place e Silk Stalkings - essa série era tão ruim, mas era um vício só por causa do Rob Estes. 90210 vai estrear dia 5 de novembro na Sony e é tão tosca que fica até divertida. Vale assistir só pelo folclore. Aconselho que os antigos fãs não percam o piloto. O encontro de Kelly e Brenda, 20 anos depois, no mesmo Peach Pit (modernizado, claro, mas ainda com Nat no comando) seria um momento de nostalgia perfeito, não fosse a pequena, mas existente, dose de constrangimento. E Brenda continua com o mesmo cabelo!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.