Andrew Harrer/ WashingtonPost
Andrew Harrer/ WashingtonPost

Apresentador de TV dos EUA Charlie Rose é suspenso após denúncias de assédio sexual

O respeitado entrevistador é acusado por oito mulheres: 'Estou enormemente envergonhado'

AFP

21 de novembro de 2017 | 11h19

O apresentador de televisão americano Charlie Rose foi suspenso nesta segunda-feira, 20, pelas redes CBS e PBS após oito mulheres terem acusado o famoso entrevistador de assédio sexual.

Segundo o jornal The Washington Post, que publicou as acusações, as oito mulheres eram ex-funcionárias ou candidatas a vagas no programa Charlie Rose na PBS, animado pelo apresentador, que também participa regularmente no programa 60 minutes na CBS.

Charlie Rose, de 75 anos, respeitada figura da televisão americana, entra assim na lista de personalidades da política, do espetáculo e dos meios denunciadas por conduta sexual inapropriada - de assédio a estupro - desde as revelações sobre o produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

A rede pública PBS anunciou que estava suspendendo imediatamente o programa e qualificou, através de um porta-voz, as acusações de "profundamente inquietantes".

** Em 1979, Meryl Streep acusou Dustin Hoffman de assédio

"Charlie Rose está suspenso imediatamente, enquanto averiguamos o assunto", reagiu por sua vez a CBS News, afirmando em um comunicado que leva as acusações "muito a sério".

Os oito mulheres denunciaram chamadas telefônicas obscenas e toques indesejados, e duas afirmaram que Rose ficou nu na frente delas.

"É essencial que estas mulheres saibam que as escuto e que sinto profundamente ter tido esta conduta inapropriada. Estou enormemente envergonhado", disse Rose em um comunicado publicado no Twitter.

** Portia de Rossi denuncia Steven Seagal por assédio sexual

"Sempre pensei que os sentimentos eram compartilhados, embora agora me dê conta de que estava errado", acrescentou.

As oito mulheres afirmam que os supostos incidentes ocorreram entre os anos 1990 e 2011, quando tinham entre 21 e 37 anos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.