Divulgação
Divulgação

Anos 1920 agitam ‘Downton Abbey’

Chegada de novos personagens causa reviravoltas na quarta temporada

Pedro Caiado - Especial para o Estado/Londres, O Estado de S. Paulo

22 Setembro 2013 | 22h12

É a série de época de maior sucesso do momento. Não se via nada igual no gênero de época desde o hit Memórias de Brideshead (com Jeremy Irons em 1981). Em três temporadas, Downton Abbey venceu dois Globo de Ouro e foi indicada quase 40 vezes ao Emmy – levou nove categorias. Nesse período, tornou-se a série de TV mais assistida do canal americano PBS. A produção retrata o dia a dia da família Crawley e seus inúmeros empregados na mansão que dá título à produção localizada no interior da Inglaterra.

O Estado participou de um evento em Londres que reuniu todo o elenco e produtores para promover a quarta temporada, que será transmitida pelo GNT no inicio do próximo ano (em data ainda a definir). O produtor executivo Gareth Neame defendeu que a série “está em sua melhor forma desde a estreia” e, curiosamente, comparou-a com o prazer de assistir a um filme de terror; “Ele assusta e estimula seus sentidos. É como Downton: você quer voltar para ver mais”.

O primeiro episódio do próximo ano trará guinadas na história e novos personagens. A vida na mansão, que agora vive o começo dos anos 1920, será agitada depois do depressivo fim da última temporada.

Após a morte do marido Matthew Crawley (Dan Stevens), Lady Mary (Michelle Dockery) terá novas oportunidades de encontrar um novo amor. “Ela terá uma grande oferta de homens lançados em sua direção pela mãe, Cora. Há um sentimento de que ela precisa casar novamente”, disse Dockery ao Estado. Jack Ross (Gary Carr) é um dos novos personagens, um cantor de Jazz americano e o primeiro negro de Downton. Lord Gillingham (Tom Cullen) é o bonitão que aparecerá no segundo episódio como um velho amigo da família e um suporte (e talvez potencial amor) para Lady Mary, enquanto Charles Blake (Julian Ovenden) será um aristocrata que não se dará muito bem com ela.

Outra surpresa é a adição do ator hollywoodiano Paul Giammatti (de Sideways) como um playboy americano, irmão de Lady Cora, no especial de Natal no fim da nova temporada.

No andar de baixo, na cozinha, um mixer elétrico provocará frisson, deixando a simpática cozinheira Mrs. Patmore achando que perderá seu domínio para os equipamentos elétricos. O vilão Thomas Barrow (Rob James-Collier), ganhará mais destaque, enquanto a Condessa de Grantham (Maggie Smith) continuará entregando as frases de efeito que a tornaram um sucesso no YouTube.

‘Edith é a Carrie Bradshaw dos anos 20’, diz atriz

O que podemos esperar da sua personagem nesta temporada?

Será ótimo para a Edith, que é jornalista agora e irá muito a Londres. Eu a comparo com Carrie Bradswaw, de Sex and the City, pois ela também escreve uma coluna em uma revista feminina. Edith seria a Carrie dos anos 20. Ela também é interessada em moda e estará mais rebelde que antes.

A competição entre as irmãs na série é algo que você viveu?

Não, de jeito nenhum. Eu e minhas irmãs somos amigas. Acho que há algo de inveja em Edith em relação a Lady Mary, mas acredito que a Edith não ache que piedade é algo que ajuda a irmã.

O público começou a simpatizar mais com Edith por conta de sua falta de sorte no amor?

Sempre compreendi o comportamento dela, pois ela foi vítima de várias humilhações. Mas nenhum fã teve coragem de confessar a mim que simpatiza com seu azar no amor.

Dalloway e Downton

A escritora Virginia Woolf, autora de ‘Rumo ao Farol’ e ‘Mrs. Dalloway’, fará aparição na quarta temporada da de ‘Downton Abbey’. Interpretada por Christina Carty, ela contracenará com Edith

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.