Cartoon Network
Cartoon Network

Animação brasileira 'Irmão do Jorel' ganha quarta temporada em 2021

Produtor e diretora de animação falaram sobre os novos episódios em entrevista coletiva pré-CCXP Worlds

André Cáceres, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2020 | 09h00

Um dos principais desenhos animados brasileiros, Irmão do Jorel vai ganhar uma nova temporada em 2021. O produtor Zé Brandão e a diretora de animação Lena Franzz, em coletiva à imprensa nesta terça-feira, 1, falaram sobre as novidades que os fãs podem esperar para a série no ano que vem.

A quarta temporada, que conta com 26 episódios de 11 minutos e um pacote de curtas-metragens, ainda não tem data de estreia, mas totalizará 104 episódios, somados aos das outras três temporadas. 

"Há 10 anos, dava para contar nos dedos a quantidade de animações brasileiras. Hoje temos mais de 60 desenhos animados sendo produzidos no Brasil", comemora Zé. "É uma série de animação bem longeva, não só para os parâmetros brasileiros, mas para os estrangeiros também. Não dá para se comparar com Simpsons em termos de episódios, mas é muito significativo."

Irmão do Jorel narra o cotidiano de uma família excêntrica no Brasil dos anos 1980. Jorel é o garoto mais popular do bairro, mas o protagonista da animação é seu irmão, cujo nome nunca chegamos a conhecer, um menino tímido que tenta criar sua própria identidade à sombra do irmão.

Lena, que está na equipe de Irmão do Jorel desde o início, dirige pela primeira vez nesta nova temporada, e, assim como o protagonista, teve de superar a própria insegurança para se tornar a primeira mulher diretora dessa animação. "A gente finalizou a temporada em pandemia, com um apoiando o outro. Terminar uma temporada já é uma sensação de missão cumprida, e nessas condições foi ainda mais importante", disse Lena, relembrando das dificuldades de concluir esse processo em quarentena. 

A nova temporada deve ter mais elementos fantásticos, tanto no espaço quanto com viagens no tempo. Além disso, os episódios estarão mais musicais do que nunca, garantem Zé e Lena, e o espectador deve conhecer a família do primo do Jorel, uma espécie de família alternativa à dos protagonistas.

A diretora de animação comentou também sobre a evolução do visual da série: "As linhas foram ficando mais finas, o cenário ficou mais colorido, era muito dessaturado antes. Na primeira temporada, as expressões eram muito exageradas, o que é legal, mas fomos aprendendo a dosar mais para valorizar esses momentos, para que expressões diferentes significassem momentos especiais."

Já o produtor falou sobre como, com mais de cem episódios, Irmão do Jorel evita a caricaturização dos próprios personagens: "Quando vc coloca uma animação no mundo, o mundo toma ela para si. e o mundo repete e cria bordões que na série nem é tão presente. Essa não é uma série em que os personagens tinham bordões de cara, mas esses bordões foram acontecendo com a resposta do público. mas a gente tenta fazer com que isso não vire uma muleta."

Pelo fato de Irmão do Jorel ser um desenho sobre a realidade brasileira, o que ainda é raro, e traz elementos familiares para os espectadores. Lena reflete que talvez o fato de a série se passar no Brasil dos anos 1980 atraia também o público mais velho. "O adulto vai pegar algumas referências, a criança vai pegar outras. Agora o pessoal dos anos 1990 também vai pegar algumas de anime, algumas expressões, mas é o reflexo de quem escreve, de quem cria."

Mais novidades sobre Irmão do Jorel serão apresentadas no painel da Warner Media na CCXP Worlds, no domingo, 6, às 15h. A animação vai ao ar no canal fechado Cartoon Network aos domingos, às 17h, e conta com conteúdo extra no YouTube.

Tudo o que sabemos sobre:
animaçãotelevisãoCartoon Network

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.