Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Ana Paula Padrão em versão mulherzinha

Jornalista confessa que luta contra a balança e mostra que é dona de um jeito meigo

Juliana Faddul - Jornal da Tarde,

02 de dezembro de 2011 | 21h34

Ana Paula Padrão, de 46 anos, já gastou muita sola de sapato cobrindo guerras e fazendo reportagens sobre temas espinhosos. Vinte anos após sua estreia na televisão, a jornalista ancora o ‘Jornal da Record’, principal jornalístico da emissora. Com uma rotina mais tranquila, Ana Paula confessa que, mesmo com um corpo mignon, luta contra a balança e mostra que é dona de um jeito, digamos, meigo.

Quando Ana Paula Padrão iniciou sua carreira, nos anos 80, as jornalistas eram chamadas de geração ‘ombreira’, por causa do modelo dos paletós usados. Os cabelos eram curtos e as roupas, mais largas; algumas vezes, até gravatas entravam nos looks. "Nós não tínhamos uma imagem feminina para assimilar. Copiávamos os homens", conta Ana Paula. Hoje, além de apresentar o ‘Jornal da Record’, ela está à frente da produtora Touareg e do site 'Tempo de Mulher' (http://www.tempodemulher.com.br). Tudo isso sem descer do salto de 12 centímetros, que potencializa seu 1,62m de altura.

Iniciante numa época em que o jornalismo ainda era um ambiente predominantemente masculino, Ana Paula diz nunca ter sentido preconceito por parte de seus chefes, mas, sim, com alguns companheiros de equipe. "Já aconteceu de eu falar: ‘quero cobrir essa área’ e me responderem: ‘sério? Mas você é mulher’. Fui do mesmo jeito", relembra. Ana Paula conta que mesmo em locais onde o conforto é mínimo e o alerta é constante pelo cenário de conflito civil, como o Afeganistão, não esqueceu seu lado mulherzinha. Por isso, ganhou também o apoio feminino. "Eu tinha um perfil duro, de matéria pesada (ela ficou conhecida pela cobertura de guerras). Fui procurada por grupos de mulheres e percebi que eu atraía essa ala do público", diz. Por isso, pesquisa o comportamento feminino há dez anos.

Embora nos bastidores a jornalista tenha um lado feminino bastante aflorado, ela não se considera vaidosa em excesso. Mas se cuida. Pela manhã, sabonete para o rosto, esfoliante, creme hidrante e filtro solar. À noite, o ritual se repete, mas com hidroquinona e ácido retinóico, substâncias que auxiliam a manter a pele em dia.

Outro aspecto importante é o cuidado especial com unhas e sobrancelhas. "Pode estar chovendo canivete que eu não deixo de fazer a unha toda semana e a sobrancelha a cada 15 dias. Acho que é questão de higiene", diz . Entre outras questões femininas, está a preocupação com o peso. "Ele varia entre 48kg e 50kg. Só em Guadalajara (onde cobriu os Jogos Pan-Americanos, em outubro) que eu cheguei a 47 kg. Não sou muito fã de comida mexicana." Ela alega que, quando ultrapassa a faixa dos 50 kg, se sente cansada. "Ser bonita é se sentir bem", sentencia.

Dormir cedo é outra coisa de que Ana Paula não abre mão. "Para mim, quando o jornal acaba, já está tarde". O ‘Jornal da Record’ termina por volta das 21h. Diariamente, ela acorda às 7h30. Lê os jornais, checa os e-mails, toma café.

Dá ainda assistência à produtora que toca seu site. À tarde, por volta das 14h, chega à emissora. Sua maratona termina perto das 22h, enfim, em casa. Nos finais de semana, Ana Paula gosta de se trancar em casa para relaxar e cozinhar ao lado do marido, o economista Walter Mundell, de 57 anos. "Ele é mais agitado que eu. E ele me arrasta", conta.

A jornalista acredita que o lado feminino tem de se manter aceso, independentemente da carreira escolhida. Mas lembra: "É difícil ver alguma mulher CEO ou em um cargo alto. Acho que isso é uma barreira que precisamos quebrar", defende.

Tudo o que sabemos sobre:
Ana Paula PadrãoRede Record

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.