João Cotta/ TV Globo
João Cotta/ TV Globo

'Amor de Mãe' vem às telas para celebrar a força do coração materno

Próximo folhetim do horário nobre da Rede Globo, é novela autoral, feita com método de cinema, mas ainda é bom e velho melodrama

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2019 | 07h00

O diretor José Luiz Villamarim e a roteirista Manuela Dias foram parceiros na minissérie Justiça. Ele volta à direção de novelas com um projeto ambicioso: uma novela autoral, toda feita com método de cinema. Mas o conteúdo é de folhetim. O bom e velho melodrama, com roupa nova. O material preparado pela Globo para promover Amor de Mãe tem até citação de James Joyce – “Todo o resto é incerto nesse mundo hediondo. Só o amor de mãe não é”.

Amor de Mãe é uma reverência à instituição que é a mãe brasileira. Essa mulher guerreira, honesta e que faz tudo para criar seus filhos do lado certo da vida. Vamos celebrá-la através de três histórias comoventes sobre esse amor capaz de mudar o mundo”, diz Manuela. E Villamarim: “Nossas personagens são pessoas comuns, nada maniqueístas. Suas histórias são como a vida real”.

Lurdes, interpretada em flashback por Lucy Alves, vai virar Regina Casé, em busca do filho na cidade grande. É mãe de Juliano Cazarré e ele vai se aproximar de Isis Valverde, que é enfermeira. Thelma/Adriana Esteves é mãe de Chay Suede. Descobre que tem um tumor que não pode ser operado. Vitória/Taís Araújo é advogada. O que mais quer é ser mãe. Liga-se a Vladimir Brichta, ativista ambiental. E isso é só o começo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.