Ique Esteves/ Divulgação
Ique Esteves/ Divulgação

Alice Braga e Rodrigo Santoro contracenam em 'As Brasileiras'

Amigos, atores de sucesso em Hollywood falam da parceria no episódio 'A Indomável do Ceará'

Aline Nunes - Jornal da Tarde,

30 Janeiro 2012 | 09h37

Depois de tentar driblar a imigração americana no filme Território Restrito (2008) e parar nas mãos de um agente da polícia de peso, vivido por Harrison Ford, agora, na TV, a atriz Alice Braga troca de lugar. Na cintura, herda o revólver do eterno Indiana Jones e ajusta o par de algemas. Na planilha de missões, organiza a operação para capturar um meliante famoso no interior do Ceará, o Carioca, vivido por Rodrigo Santoro. Vestir a camisa de marginal já tornou-se a predestinação do ator - na TV, em dezembro, ele viveu o policial anti-herói Ciba no telefilme Homens de Bem, e no cinema, no dia 17 de fevereiro, estreia no filme Reis e Ratos, de Mauro Lima, também como criminoso. “Será que eu tenho cara?”, brinca Santoro.

 

Não exatamente. Daniel Filho, diretor de As Brasileiras, buscou escolher um à altura da protagonista Alice Braga. “Eu precisava de homens que segurassem essas mulheres. Não iria conseguir sozinho”, graceja o diretor. Sendo assim, em julho de 2010, Daniel esboçou a ideia de A Indomável do Ceará e enviou para o e-mail de Alice. A atriz, que já tinha acompanhado o episódio da tia (Sonia Braga) em As Cariocas (2010), liberou a agenda e abraçou a causa da delegada Mirtes. Já Santoro, mesmo com aparições homeopáticas na telinha, vislumbrava como seria uma outra parceria com Daniel Filho na TV - há oito anos, no cinema, o ator foi dirigido por ele em A Dona da História. “E, há anos, eu também queria contracenar com a Alice”, diz Santoro.

 

Em 2008, os amigos até protagonizaram o mesmo filme, Cinturão Vermelho, do americano David Mamet. “Éramos irmãos”, lembra o ator. Mas ao longo dos 99 minutos da filmagem, eles não trocaram um olhar sequer. Bruno e Sondra só se falavam ao telefone. “Então, não contou a parceria. Por isso, quando vi que era a Alice, aceitei na hora”, conta Santoro. Alice idem. “Muito bom ter amigos como o Wagner (Moura) e o Rodrigo (Santoro). Tô super orgulhosa do Heleno, ele foi atrás, saca?”, diz a atriz. E completa os elogios: “É o grande personagem da vida dele”.

 

 

Os parceiros de Hollywood, de fato, parecem se conhecer bem. “Realmente, estou ansioso com o Heleno. Nunca me envolvi num projeto como esse”, confirma Santoro. No longa, previsto para estrear em 16 de março, o ator produz e dá vida ao jogador Heleno de Freitas. “O drama do Heleno é muito parecido com o que a gente vê do Adriano. Se vocês acham ele bad boy, não viram o Heleno.”

 

Bastidores

 

Apesar de tamanho entusiasmo, o ator se diz focado na TV. “Comecei na televisão, né? Adoro fazer!”, diz ele, que acumula mais de 15 trabalhos, entre novelas e minisséries. Ao contrário de Santoro, Alice não é tão habitué na TV. Apesar de, em 2010, ter comandado o programa de beleza Superbonita, no GNT, ela é quase estreante na telinha. Em 2005, a sobrinha de Sonia Braga esteve no seriado Carandiru, Outras Histórias e pegou gosto pelo formato. Em 2007, Alice quase embarcou para a região Norte do País, junto com o elenco da minissérie Amazônia. A autora Gloria Perez a convidou, porém, a agenda não fechou. E por que, agora, TV? Busca de reconhecimento no Brasil? “Eu tenho vontade de ser reconhecida aqui. Não pela fama, mas pela troca com um público diferente”, explica ela.

 

Para Santoro, foi um acerto Alice aceitar entrar em As Brasileiras - a série estreia dia 2 e a cada episódio terá uma protagonista. O de Alice ainda não tem a data de exibição fechada. “O Daniel (Filho) é um diretor de um take só. É um super projeto”, diz ele. Na trama, Alice é Mirtes, uma delegada que quer distância dos homens. Porém, numa missão policial, prende o meliante Carioca (Rodrigo Santoro) e o seu coração balança por ele. Por ironia do destino, ele precisa ser transferido. Ela, então, o algema ao seu braço e os dois passam o episódio todo grudadinhos. Será este um romance com ares hollywoodianos? 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.