Aldrich pega carona em Jack London

O Imperador do Norte. No canal TCM, às 20 horas. Reprise, colorido, 118 minutos

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2009 | 20h40

Há algo do Jack London de De Vagões e Vagabundos no poderoso (e altamente simbólico) O Imperador do Norte, que Robert Aldrich realizou em 1973, colocando em cena dois de seus atores favoritos. Ernest Borgnine faz o inspetor sádico que garante que matará qualquer vagabundo que tente viajar de graça no trem sob sua condução. A época é a depressão econômica dos anos 30, nos EUA, quando legiões de desempregados viajavam clandestinamente. Lee Marvin é o vagabundo que anuncia que terá sucesso no trem da morte de Borgnine. O embate de machado entre os dois, no alto do vagão, é intenso e pertence às emoções inesquecíveis do cinema.

Aldrich criou fama no cinema norte-americano dos anos 50 e 60 por seus filmes viris. Westerns, filmes de guerra, de ação - poucos diretores souberam filmar tão bem a violência e o erotismo masculinos. Duas ou três vezes ele falou sobre homossexualismo, mas o fez sempre da perspectiva de mulheres entre elas. Embora não seja uma adaptação de Jack London, O Imperador bebe na fonte do escritor que foi ardoroso militante do movimento socialista nos EUA. Aldrich, filho de banqueiro - como Walter Salles no Brasil -, sempre foi atraído por marginais em choque com o ?sistema?. O cartaz de hoje da TV paga é um de seus mais belos filmes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.