Ação clássica, com elenco de astros

Os Canhões de Navarone. No TCM, às 22 horas. Reprise, colorido, 156 minutos

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2009 | 23h25

No começo dos anos 60, o inglês J. Lee Thompson ainda não se havia transformado no ?pau para toda obra? que, no fim de sua carreira, realizou alguns dos mais violentos (e indignos) thrillers protagonizados pelo sempre desejoso de matar Charles Bronson. Thompson havia feito, inclusive, filmes muito bons, de um recorte crítico (e intimista), como Uma Sombra em Sua Vida, com Yvonne Mitchell, e Marcados pelo Destino, em que lançou a garota Hayley Mills.

Mas foi em 1961 que Thompson realizou, com base no romance de Alistair MacLean, roteirizado por Carl Foreman, o eletrizante Canhões de Navarone. O filme conta a história de um comando dos aliados que é enviado a ilha grega para destruir os canhões do título, com os quais os nazistas controlam o tráfego marítimo na região.

Um grande elenco (Gregory Peck, Anthony Quinn, David Niven, Irene Papas) e cenas espetaculares de ação deixam o público vidrado. E a história, com as suas reviravoltas e traições, mostra a fragilidade do heroísmo, bem de acordo com o espírito crítico que J. Lee Thompson ainda possuía.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.