'A Record tem memória curta'

Aguinaldo Silva fala sobre a escalação de Duas Caras e critica as favelas da ficção

Keila Jimenez, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2007 | 22h20

Duas Caras, que estréia amanhã na Globo, tem quase 100 personagens. Em conversa com o Estado, o autor Aguinaldo Silva reivindica para si o título de primeiro a apostar em uma favela em novela.Foi difícil escalar o protagonista de Duas Caras?Eu queria o Du Moscovis, mas ele não pôde aceitar. Fiquei triste, mas o Wolf (Maya, diretor) me disse que encontraríamos a pessoa certa. Brincando, eu disse que tudo bem, mas que tinha que ser alguém que o nome começasse com a letra "D" (risos). "Dalton Vigh", gritou o Wolf. Adorei a idéia.Escolha criteriosa, hein?Muito (risos). Mas deu certo.Foi idéia sua colocar a Marília Gabriela como mulher de favela?Eu a queria para o papel que ficou para a Suzana Vieira, a empresária Branca. Mas o Wolf me surpreendeu falando que colocaria a Marília como mulher do povo.Para chocar?Acho que sim, o público não está acostumado a vê-la assim. Novamente vem duelo entre Suzana Vieira e Renata Sorrah?É , como em Senhora do Destino. Só que agora o público vai torcer por Renata. Ela será a mulher batalhadora, do povo. A Suzana será durona.E por que Suzana será Branca de novo, como em Por Amor?Eu já tinha escolhido o nome quando a criei para Marília (Gabriela). Aí trocamos para a Suzana e a Globo falou: "Branca de novo?". Sim, de novo. Só consigo escrever pensando antes no nome do personagem e não vou mudar. Não tem problema que ela já foi Branca, eu não copiaria o Manoel Carlos.Executivos da Record têm dito que a Globo só vai botar favela em novela depois que eles fizeram a deles em Vidas Opostas.(risos) Essa é boa. A Record está com problema de memória. Senhora do Destino foi a primeira novela a ter favela. E falo de favela que trata de gente trabalhadora. Essa história de favela que só tem bandido me incomoda. É assim em Cidade dos Homens. Há bandido lá também, mas a maioria é gente batalhadora. E eles querem se ver na TV. Agora, a Record, como está há pouco tempo fazendo dramaturgia, sofre de memória curta. Não sabe que novela se faz desde o tempos da Tupi (risos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.