A moda dos websódios

Episódios apenas para a internet aquecem novas temporadas e exploram personagens secundários

Gustavo Miller, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2009 | 23h20

Estreou na semana passada, no A&E, a série mezzo terror mezzo suspense Harper's Island. Numa sinopse básica, a trama mostra uma festa de casamento que ocorre numa ilha perto da cidade de Seattle. O lugar foi palco de uma sequência de assassinatos há sete anos. Enquanto a festa rola, novos homicídios acontecem. Em um total de 13 episódios, o público descobre as próximas vítimas, assim como a identidade do serial killer.

Harper's Island não teve lá grande audiência e até foi jogada para as noites de sábado pela CBS, pior horário da TV americana. Em compensação, sua websérie, Harper's Globe, foi muito bem, dando recordes de acesso ao site do canal (não é por acaso: ela é bem mais intrigante).

Webséries, ou séries online, são uma grande aposta das emissoras americanas nos últimos anos. Shows, como Scrubs, 24 Horas e Battlestar Gallactica já tiveram o seu. Eles são curtos, têm uma média de 5 minutos de duração cada e são criados para o que os produtores chamam de "universo em expansão".

No caso de Harper's Globe, a trama de seis episódios serviu de aquecimento para Harper's Island, já que o seu final coincidiu exatamente com o começo da história da TV. Na última temporada de Heroes, websódios também serviram para apresentar o novo ano, ao contar a história de personagens que iriam entrar na trama.

Quem não assistiu a esses dois seriados de internet, somente aos "tradicionais", não ficou excluído da história. Mas também não fez parte de uma experiência complementar, que permite ao fã entrar ainda mais de cabeça no enredo. Lost é o grande exemplo dessa linha de pensamento - alguns segredos da trama só são desvendados na rede.

Esse é outro destaque das webséries: preencher aquilo que não cabe em 30 minutos ou em 1 hora de TV. Os websódios de The Office exploraram melhor a veia humorística dos personagens secundários Oscar e Kevin, por exemplo. O mesmo fará a brasileira 9 MM: São Paulo, que ganhou 9 novos episódios desde a última semana. A partir de 15 de junho, o site da Fox terá episódios exclusivos, a fim de dissecar personagens que aparecerão rapidamente no canal fechado.

"Fã quando é fã demanda mais. A internet permite uma interação real", comenta o produtor Roberto D'Ávila, que usa aquela tal expressão-chave. "9 MM é um universo em expansão."

Tudo o que sabemos sobre:
TVeLazerinternetsérieswebsódios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.