Divulgação
Divulgação

A lenda do (jovem) Rei Arthur

Ator britânico de 22 anos vive o Rei Arthur adolescente em nova série

Alline Dauroiz - O Estado de S.Paulo,

28 Junho 2011 | 19h01

De livros escolares a grandes produções Hollywoodianas, a história de um nobre rei que comanda seus cavaleiros em uma távola redonda já foi contada de diversas maneiras. O que a nova série Camelot, que estreia no próximo sábado (às 22h30, no Globosat HD), pretende é acompanhar Arthur desde a adolescência, quando ele ainda pensava ser plebeu.

Com produção britânica/canadense, a série é baseada no clássico do século 15 A Morte de Arthur, de Thomas Malory, e tem Joseph Fiennes (de Shakespeare Apaixonado e Flashforward) no papel de Merlin, e a bond-girl Eva Green como a maquiavélica Morgana.

Ao Estado, por telefone, o protagonista, Jamie Campbell Bower (de Harry Potter e as Relíquias da Morte e Amanhecer, da saga Crepúsculo), explica por que a série foi criticada e diz buscar em sua própria adolescência inspiração para o imaturo Arthur.

A lenda do Rei Arthur é antiga e mundialmente conhecida. Isso é uma grande pressão, né?

Sinto essa cobrança, porque as pessoas já têm uma imagem dele formada na cabeça, ou pelo menos uma ideia de como ele deveria ser. Dá um pouco de medo e empolgação. É quase como fazer Hamlet. A série foi até criticada por fãs mais fervorosos do personagem. Disseram: "Ele é muito novo pra interpretar esse papel." Mas queremos mostrá-lo como um garoto de 17 anos para depois acompanharmos sua jornada de menino a homem. E ninguém conhece o Arthur adolescente. A juventude dele é o diferencial.

A série é fiel ao livro do Malory? Aliás, você leu o livro?

Não li, porque ele é gigante (risos). Mas o livro do Malory serviu mais de guia pra gente. Pegamos a lenda da dama no lago, toda a lenda que envolve (a espada) Excalibur. A série é baseada no livro dele e não em outras histórias contadas por aí.

Nos primeiros episódios, o Arthur é uma marionete nas mãos do Merlin. Isso não enfraquece a sua lenda?

Garanto que não. Ele amadurece muito ao longo da série e, ao final, ele realmente se torna alguém que lembra o personagem que você acha que ele deveria ser. Porque é um garoto, que é levado de casa, de sua família, e descobre, pelo Merlin, que será o novo rei. Ele tem de confiar nesse cara. Então, sim, no começo ele pode até ser marionete do Merlin, mas te asseguro que ele passará por um grande desenvolvimento.

A propaganda diz que essa é uma versão moderna do conto do Rei Arthur. Onde veremos essa "repaginada"?

Na linguagem - falamos em galês ou algo parecido com galês - e nos relacionamentos dos personagens. A maioria do que foi feito sobre o Rei Arthur tem muita pompa e circunstância. Nossa série volta à época em que ele ainda não era uma lenda e foca em sua humanidade. Tentamos fazer de forma mais realista. Se bem que ninguém sabe se ele realmente existiu. Ah! E Merlin também aparenta uns 40 anos, todo musculoso, misterioso. Acho que ninguém nunca viu isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.