'A Favorita' chega ao fim com baixo ibope e filha atira na mãe

Autor disse ao Estado que mudaria a cena em que Lara atira em Flora, após ter vazado para a imprensa

Teresa Ribeiro, do estadao.com.br,

17 de janeiro de 2009 | 00h23

A Favorita, a novela das nove da Globo, chega ao seu capítulo final com quase duas horas de duração, com 48 pontos de média de audiência, abaixo dos capítulos do início da semana que renderam 51, 52 pontos de ibope, cada ponto representando 60 mil residências sintonizadas na emissora na Grande São Paulo. Flora, a vilã interpretada pela atriz Patrícia Pillar, não morre no final da trama, mas leva um tiro de sua filha Lara. "Me mata, filha assassina. Eu não disse que sua vida estava atrelada à minha? Você é uma assassina igual à mim. Agora vai, acaba com isso, mata sua mãe, mata", provoca. Lara se contém e diz "eu não sou assassina como você". Abaixa a arma e deixa Flora viver. Donatela abraça Lara e diz olhando para Flora que Lara é sua filha. "Garota frouxa", diz Flora. Ao comentar o vazamento desta cena para a imprensa, João Emanuel Carneiro, autor da novela, afirmou em entrevista ao Estado que mudaria o texto, mas não o fez.  A cena acontece quando Lara, Dona Irene e Silveirinha chegam à casa do Guarujá onde Zé Bob e Donatela passam a noite de núpcias. Flora prepara o café da manhã para eles e diz que sempre quis se vingar de Donatela por tê-la abandonado. Zé Bob reage jogando um baleiro de cristal em Flora, que atira nele. Diz a Donatela querer matá-lo com três tiros como fez com Marcelo, primeiro marido de sua irmã de criação. O tiro que Flora dispara contra Zé Bob fica parado no ar, como nas inúmeras famosas aberturas dos filmes do agente 007 James Bond, aquele que tem licença para matar. Zé Bob entre a vida e a morte é o grande suspense da noite. Flora é levada ao hospital e de lá segue para a cadeia. A notícia de que ele vai sobreviver só virá bem depois. Corta para o outro núcleo da novela. Nasce o filho de Céu e Halley. Catarina e Cida abrem os presentes durante a festa de chá de cozinha, mas Catarina sai repentinamente e vai ter uma conversa franca com Wanderley, desistindo do casamento. Catarina viaja para Buenos Aires com Stella. Leonardo, seu ex-marido, sai da cadeia e vai procurar a filha Mariana e conhecer a netinha Úrsula, mas nem consegue tocar no bebê. Mariana se despede do pai e diz a ele que ninguém sentirá sua falta. Donatela visita Zé Bob fora de perigo no hospital e em seguida surgem as cenas da cidade de São Paulo ao amanhecer, marca de toda a novela. Rosana sai da cadeia e encontra Augusto César, Elias e seu filho Shiva Lênin, todos à sua espera. Copola e Dona Irene fazem juras de amor eterno. Cassiano se despede de Lara e fica com Alice. Juca e Cida se casam, representando a cena básica de todo final de novela, com a mocinha caminhoneira e o mocinho, um ex-viciado. Lara descobre que sua melhor amiga não está namorando Halley e vai cavalgando por campos verdejantes atrás dele. Silveirinha encontra duas irmãs cantoras sertanejas, garotinhas, e investe na carreira das meninas... Flora lava roupas na cadeia com o rosto cheio de hematomas, quando chega uma nova presa e pergunta - qual o seu nome? Donatela, responde. Corta para Donatela no apartamento de Zé Bob. Ela lhe dá de presente um cachorro, Alceno - "a única fêmea que entra nesta casa sou eu", explica. Corta para Donatela e Zé Bob acordando na cama. Ele vai dar água para o novo cão e ela fica com o olhar perdido. "Onde você estava?" - pergunta ele. "Lembrando de mim e da Flora quando crianças. Ela era uma criança tão linda, uma boneca, com cachinhos clarinhos, olhinho azul..." Corta para Donatela e Flora crianças. Donatela propõe que elas cantem, mas Flora retruca que ela não sabe cantar direito e Donatela puxa Beijinho Doce, de Tonico e Tinoco. "Você é minha favorita, sabia?" - diz Flora para Donatela.

Tudo o que sabemos sobre:
A FavoritanovelaRede GloboIbope

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.