A dona de casa faz as contas

Atriz defende salários maiores e quer que TV e cinema sejam vistos como indústria no Brasil

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2007 | 22h40

Com Sônia Braga não há entrevista no estilo pergunta-e- resposta. A atriz conversa. E viaja. Fala sobre um assunto, muda o foco e retoma o pensamento. Dá uma alfinetada aqui e acolá, mas com estilo. Adora séries e trabalhou com J.J. Abrams, criador de Lost e Alias. A seguir, trechos do papo com Sônia, que será Maria Alice em Donas de Casa Desesperadas, da Rede TV!.DONAS DE CASA - "O Fabinho (Barreto, diretor) é um doce, apesar da voz. Se fosse índio, se chamaria Voz de Trovão. Havia expectativa de fazer narração, mas ele falava: ?Sônia, morto não tem pressa.? A Argentina continua linda. Revi amigos, saí e esse não é meu estilo, mas é algo típico de Buenos Aires, que tem essa coisa de São Paulo. Cresci em São Paulo e sempre tive amigos. No Rio nunca entendi como isso funciona."J.J. ABRAMS - "Esse é um cara de visão. Com ele, não tem essa de latino só faz latino. J.J. coloca todo mundo falando com sotaque e até usa legenda. Volta e meia mando e-mail e ele sempre responde. Sabe, tem ator que fala: ?Quando vier para o Brasil, me procura.? Mando e-mail e a pessoa nunca responde... Dá prazer fazer série com J.J., pela técnica de cinema com velocidade de TV. E fazer uma russa (em Alias) não é do bem? Alias foi muita adrenalina e é disso que gosto: ação e HQ. Você dá chute, mata, sai num tiroteio. E é tudo coreografia." SEX AND THE CITY - "Era fã de Law & Order e, um dia, um amigo me chamou para ir à casa do Chris Noth (de Law & Order e Mr. Big, em Sex and the City) e ficamos amigos. Fui com Chris no lançamento da terceira temporada de Sex, encontrei os produtores e disse que era absurdo ter um homem gay na série e não ter uma mulher gay. Eles responderam: ?Você acha? E você toparia fazer uma lésbica?? Respondi: ?Claro!? E continuaram: ?Com quem você transaria?? Apontei para a Kim (Cattrall): ?Com ela.? Veio uma amiga dela cumprimentá-la e eu disse: ?Larga minha mulher!?"MERCADO - "Como vivemos no monopólio da Globo, trabalhar lá virou status. Se um ator está bombando... Essa palavra é vulgar? Não gosto de gíria vulgar... Se ele está em evidência (gostou?), só ele ganha bem. Cadê os diretores de cinema? Falta o Brasil virar indústria. A produção não pode ser só artesanal. O governo tem que ver como indústria. Adoro o padrão global, mas quanto mais ganharmos e trabalharmos, melhor."SALÁRIO - "Veja bem, 30 segundos de anúncio na novela das 9 valem uns R$ 300 mil. Isso dá R$ 70 milhões por mês. O maior salário da Globo, chutando, deve ser R$ 300 mil. 30 segundos de um dia paga o salário desse ator por mês. E são três atores que ganham isso. Agora, me diga: quanto devo ganhar? Não sou cara, pelo contrário, meus contratos foram baseados em salários brasileiros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.