A consciência culpada num filme premiado

Em Desejo e Reparação, diretor adapta romance de Ian McEwan com bom gosto e sobriedade

O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2008 | 22h30

Adaptado do romance Reparação, do inglês Ian McEwan, Desejo e Reparação (Universal), o premiado filme de Joe Wright, chega às locadoras dia 28. O título original (Atonement/Expiação) resume a trama desse filme com grandes atores no elenco, entre eles Vanessa Redgrave. A expiação deve-se ao drama de consciência de Briony Tallis, uma garota que, aos 13 anos, manda injustamente o caseiro à prisão por estupro de uma prima.Briony está escrevendo uma peça de teatro quando avista da janela uma cena que atiça sua imaginação: a da irmã mais velha entrando de roupas íntimas na fonte da mansão, observada pelo caseiro. Mais tarde, Briony testemunha outra cena na biblioteca entre a irmã e o amante, decisiva para que ela acuse o caseiro.No livro, McEwan associa a imaginação literária a um crime mais ou menos parecido com o de Briony: o do falso testemunho que acaba repercutindo na vida do outro de forma negativa. No filme, o diretor Wright contenta-se em contar a tragédia da velha escritora condenada a reparar um erro concreto por meio do artifício literário.

Tudo o que sabemos sobre:
dramadesejo e reparação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.