Netflix/Divulgação
Netflix/Divulgação

5ª temporada de ‘Black Mirror’ chega com três episódios

Com cenas gravadas em São Paulo e Miley Cyrus no elenco, série britânica volta ao formato original

Thaís Ferraz, Especial para O Estado

05 de junho de 2019 | 09h45

Após duas temporadas com seis episódios e um filme interativo (Bandersnatch), a série britânica Black Mirror volta ao formato de três episódios na quinta temporada, que estreia nesta quarta, 5. Intitulados Smithereens, Striking Vipers e Rachel Jack and Ashley Too, os capítulos não são sequenciais e têm, em comum, a tecnologia como tema central. A atriz e cantora Miley Cyrus faz parte do elenco.

Os novos episódios estão envoltos em mistério. Até o momento, o que se sabe é que as histórias são sobre um videogame que transforma uma antiga amizade, uma crise de reféns que se desenrola pelas redes sociais e uma relação perigosa entre uma menina e uma boneca-robô. Charlie Brooker continua responsável pelos roteiros e assina a produção executiva com Annabel Jones.

Em entrevista à Agência Efe, Brooker afirmou que Black Mirror não é uma série anti-tecnologia. “Em quase todos os episódios, os personagens são os culpados, não a tecnologia”, disse o roteirista, produtor e crítico. “A tecnologia é neutra e muito poderosa, e os personagens ou estão abusando dela ou estão na ponta receptora de alguém que está abusando dela. Na maioria das vezes, é um problema humano.”

Rachel Jack e Ashley Too conta a história de como uma estrela infantil transformada em Popstar lida com uma indústria da música cada vez mais influenciada pela tecnologia. Para interpretar a artista, Brooker e Jones precisavam de alguém convincente. “Não somos uma série de longa duração, temos uma hora para contar uma história e, de primeira, precisamos fazer o espectador acreditar nela”, afirma Brooker. Os produtores apostaram, então, na cantora e atriz Miley Cyrus, que se interessou pelo script.

“Acho que ela se identificou com a história, pensou em seu caminho, de estrela pop da Disney até hoje, e em todos os esforços que precisa fazer para se distanciar da imagem que construiu naquela época e encontrar sua própria identidade”, disse Jones à Efe.

Dirigido por Owen Harris, o episódio Striking Vipers tem como ponto de partida o reencontro entre dois amigos de faculdade. O capítulo foi filmado em São Paulo: a Santa Ifigênia, o heliponto do edifício Copan e a avenida das Nações Unidas. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.