CRISTIANO DINIZ
CRISTIANO DINIZ

Violência marca 'Cachorros Não Sabem Blefar', da Cia. 5 Cabeças

Grupo mineiro confina personagens que odeiam o nome Caio e tudo associado a ele

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

07 Março 2017 | 03h00

Depois de serem interrompidos pelos festejos do carnaval, os mineiros da Cia. 5 Cabeças retornam para mais duas semanas em cartaz no Sesc Consolação com o espetáculo Cachorros Não Sabem Blefar.

Antes de explicar a montagem em questão, vale esclarecer o nome da companhia fundada em 2009. O primeiro trabalho, chamado 5 Cabeças À Espera de Um Trem, foi criado para o Festival de Cenas 

Curtas, do Galpão do Cine Horto (BH). Na peça, cinco personagens aguardavam, há 27 anos, 3 meses e 4 dias, o trem que nunca chegaria. Apoiado na linguagem do teatro de absurdo - como a desilusão dos personagens beckettianos Estragon e Vladimir de Esperando Godot -, o diretor Byron O’Neill percebeu que havia um início estabelecido para o nascimento de uma companhia. “Havia um interesse e linguagens que gostaríamos de explorar.” 

Do limbo interminável da estação de trem, o espetáculo seguinte transfere os cinco atores para um local cuja hora sempre marca 9h15. Nessa prisão, os personagens revelam suas características que denotam a incapacidade de viver em conjunto - e de disfarçar suas presas e garras. “Eles estão enclausurados, mas não conseguem reportar a estranheza que é viver em proximidade. A realidade atropela a vida”, explica O’Neill.

 

Essa condição se agrava com uma singularidade das figuras: todos odeiam, por algum motivo, o nome Caio, o que autoriza a prática natural de intolerância. Para o ator Saulo Salomão, o tema ganha coro nos casos de violência no cotidiano de grandes cidades. “Você anda na rua e pode ser julgado por qualquer coisa, sua identidade social é alvo e não há tempo de explicar os motivos.”

O’Neill acrescenta que o conservadorismo transforma os muitos “Caios” da sociedade em alvos. “O espetáculo traduz todas as intolerâncias que as pessoas têm. O nosso Caio então pode ser mexicano, brasileiro, gay, pobre, negro, haitiano... Não importa.”

CACHORROS NÃO SABEM BLEFAR

Sesc Consolação. R. Dr. Vila Nova, 245. Tel.: 3234-3000. 2º, 3ª, 20h. R$ 20 / R$ 10. Até 14/3.

Mais conteúdo sobre:
Sesc Consolação Caio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.