Sara Krulwich/The New York Times
Sara Krulwich/The New York Times

Tony Awards celebra 75 edições e esperança na Broadway

Cerimônia neste domingo, 12, que tem exibição ao vivo pelo canal Film&Arts, tem apresentação de Ariana DeBose

Mariane Morisawa, Especial para o Estadão, Nova York

11 de junho de 2022 | 14h19

NOVA YORK - A 75ª edição do Tony Awards, que acontece neste domingo, 12, no Radio City Music Hall, em Nova York, tem uma missão: celebrar a esperança de que a maior crise já enfrentada pela Broadway, por causa da covid-19, está finalmente ficando para trás. A cerimônia que escolhe os melhores do ano, com apresentação da vencedora do Oscar Ariana DeBose, será exibida no Brasil ao vivo pelo canal Film&Arts, a partir das 21h

Muito por causa de adiamentos causados pela pandemia, em abril estrearam 15 novas montagens, e três outras peças fizeram seu retorno. Entre elas, estão as indicadas A Strange Loop, Macbeth, The Minutes, Hangmen, American Buffalo, How I Learned to Drive, For Colored Girls Who Have Considered Suicide/When the Rainbow is Enuf, Take Me Out e The Skin of Our Teeth

É um sopro de esperança para a Broadway, que estava bombando antes do coronavírus, com 14,8 milhões de ingressos vendidos e arrecadação de US$ 1,8 bilhão (cerca de R$ 8,8 bilhões) nas bilheterias na temporada 2018/2019. E não foi só o fechamento dos teatros que afetou os números. O sumiço dos turistas, que correspondem a 65% da compra de ingressos, também. Nesse ano, porém, a previsão é a de que 56,4 milhões de turistas visitem a cidade. Ainda menos que os 66,6 milhões de 2019, mas um número bom comparado aos dois últimos anos.

A festa em si promete. Angela Lansbury receberá um Tony pelo conjunto da carreira e haverá apresentações dos musicais A Strange Loop, Company, Girl from the North Country, MJ, Mr. Saturday Night, Music Man, Paradise Square e SIX, além de uma performance especial que reúne o elenco original do musical vencedor do Tony de 2007 Spring Awakening

Entre os apresentadores estão Jessica Chastain, Bryan Cranston, Lin-Manuel Miranda, Andrew Garfield, Vanessa Hudgens, Samuel L. Jackson, Billy Porter e Bernadette Peters. 

Mas também não faltam estrelas entre os indicados, como Hugh Jackman, que disputa o Tony de melhor ator de musical por The Music Man, Billy Crystal, concorrente na mesma categoria com Mr. Saturday Night, Ruth Negga, que compete pelo Tony de atriz por Macbeth, Mary-Louise Parker, sua rival na mesma categoria por How I Learned to Drive, e Sam Rockwell, candidato a melhor ator por American Buffalo. Uma das divas dos musicais, Patti LuPone, concorre como atriz coadjuvante por Company.

Os espetáculos campeões de indicações são A Strange Loop, com 11, MJ e Paradise Square, com 10 cada um, Company, com 9, The Lehman Trilogy e Six, com 8 cada.

A premiação tem vários marcos. L Morgan Lee, que disputa como melhor atriz coadjuvante de musical por A Strange Loop, é a primeira artista abertamente transgênero a ser indicada a um Tony. Toby Marlow, que concorre a melhor composição por Six, é a primeira pessoa não-binária a estar na competição. Lynn Nottage é a primeira autora a ser indicada a melhor peça (Clyde’s) e musical (MJ) no mesmo ano. Camille A. Brown (For Colored Girls Who Have Considered Suicide/When the Rainbow is Enuf) e Lileana Blain-Cruz (The Skin of Our Teeth) tornaram-se a segunda e a terceira mulher não-branca a disputar o Tony de direção.

O canal Film&Arts reprisa a premiação com legendas nos dias 18 e 24, às 21h, e no dia 29, às 18h.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.