Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Evgenia Novozhenina
REUTERS/Evgenia Novozhenina

Teatro Bolshoi de Moscou passa a transmitir conteúdo online na quarentena

Durante quarentena para restringir as infecções pelo novo coronavírus, espaço cultural russo compartilha performances do passado; veja

Redação, Reuters

27 de março de 2020 | 19h52

MOSCOU — O famoso Teatro Bolshoi em Moscou começou a transmitir ao vivo algumas de suas principais performances do passado, depois de ser forçado a fechar suas portas ao público como resultado de novas restrições destinadas a controlar o novo coronavírus.

O Bolshoi, fechado entre 17 de março e 10 de abril, se junta a outros teatros, casas de ópera e museus russos que ativaram serviços online para satisfazer as necessidades culturais dos habitantes durante a quarentena.

A Rússia tem até esta sexta 1.036 casos do vírus e cinco mortes, e ajustou as medidas para achatar a curva dos infectados.

Neste fim de semana, Moscou vai fechar todos os cafés, restaurantes e lojas que não vendam comida ou remédios.

Os dançarinos do balé do Bolshoi estão tendo de se acostumar a treinamentos em casa. "Claro que é um tempo complicado para nós", disse Denis Rodkin, um dos principais dançarinos. "Realmente dependemos da nossa profissão. Espero que isso não dure muito e que tudo volte a acontecer novamente."

No meio tempo, disse Rodkin, as performances transmitidas ao vivo pode ajudam a manter a moral do povo durante o confinamento. "A arte, e as transmissões do Bolshoi em particular, ajuda as pessoas nessas condições difíceis", disse. "Elas podem se inspirar, se recarregarem com arte, e tudo isso vai passar."

A solista Ksenia Zhiganshina também coloca uma tinta de coragem no fechamento do teatro e no impacto que isso terá nos dançarinos. "Vamos praticar de casa e fazer todo o possível, manter a forma nas condições possíveis, vamos ver o que acontecen"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.