Zé de Paiva
Zé de Paiva

Rosa Luxemburgo ganha montagem alemã no palco da Galeria Olido

Peça da diretora Anja Panse faz única apresentação em São Paulo nesta quinta, 12

Leandro Nunes, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2019 | 19h09

“Diante dos meus olhos, vi passar a guerra no seu estado puro”, escreveu Rosa Luxemburgo em uma carta para uma amiga. Era o terceiro Natal que a filósofa e economista passava na prisão. Era 1917, e em dois anos ela seria solta e assassinada pelo estado alemão. 

Essas e outras cartas inspiraram a diretora Anja Panse a montar Rosa – Apesar de Tudo (Rosa – Trotzalledem), que faz única apresentação na Galeria Olido nesta quinta, 12. “Quanto mais eu pensava nela, mais percebia a realidade de seus escritos. Por isso, era necessário escrever uma peça dessa sobre uma pessoa muito importante”, contou em entrevista por e-mail.

Na montagem, não há um interesse por toda a biografia de Rosa. Nascida na Polônia em 1871, sua atitude rebelde desde a infância revelaria o caráter da mulher que iria se tornar. Apesar de completar os estudos com excelentes notas, a jovem Rosa não recebeu a medalha destinada aos melhores alunos por conta do temperamento insubmisso. Quando adulta, Rosa aprende a juntar forças e um de seus aliados será Leo Jogiches, parceiro na fundação do Partido Comunista da Alemanha, com quem se relacionou intimamente por 15 anos. Ele é um dos pontos de vista da peça. “Retratamos sua relação íntima com Leo, um amante e camarada na luta pelas classes reprimidas”, conta a diretora. Logo após a morte de Rosa, Leo também seria capturado e executado. 

A condição de uma mulher guiando uma luta política também transparece no espetáculo. Rosa não elaborou um discurso pelo protagonismo das mulheres, ou reconhecidamente feminista. Aliás, ela nem tinha direitos eleitorais. Talvez por isso, sua atuação tenha sido considerada “perigosa.” Não demorou muito para a prisão se tornar uma rotina. 

Mas em meio à militância, havia espaço para outros interesses. Grande defensora do meio ambiente, Rosa tinha como temas abelhas, formigas, flores e pássaros sobre os quais falava em suas cartas. Em outras, a filósofa debatia assuntos das artes, literatura e geologia com seus amigos. “Rosa criticou a destruição do meio ambiente causado pela indústria, um problema que ainda aumenta a cada dia. Ela tentou encorajar as pessoas a lutar e mostrar que estão preocupadas”, afirma a diretora. 

Diante de um universo bastante objetivo e repleto de eventos históricos, o espetáculo busca criar espaços de invenção e imaginação, para que a peça não parecesse apenas um relato político e dramático, beirando um ambiente realista, explica a diretora. 

No palco, três atores e um músico constroem uma narrativa mais fragmentada, como uma colagem, com os episódios da vida de Rosa, narrados pelo teatro de bonecos. Aliás, a própria Rosa está representada na cena como uma boneca. “Também temos bonecos que mostram os capangas que apoiam a ditadura. Em toda a peça, os atores interagem com os fantoches. Isso permite associações variadas para o público”, diz. 

Outro elemento que pretende expandir esse jogo é a música ao vivo. O espetáculo resgata canções do músico e compositor austríaco Hugo Wolf, adorado por Rosa. Em uma das cartas à amiga Sonia Liebknecht, Rosa pede que envie uma série de poemas para relembrá-los enquanto segue confinada. “Você conhece o poema de Platen? Poderia enviá-lo ou trazê-lo? Karl disse uma vez que o tinha lido na casa dele. Os poemas de George são bonitos”, escreveu a filósofa.

Um dos poemas da lista é Der Neue Amadis, de Christoph Martin Wieland, musicado por Wolf. “Você poderia copiar, quando puder? Gosto tanto desse poema – naturalmente graças à canção de Hugo Wolf.” O texto cômico fala de um garoto que se liberta para vagar pelo mundo enfrentando desafios e dragões. 

Para Anja, o centenário da morte de Rosa é um motivo para a manutenção de sua memória. “Quem não conhece o passado é incapaz de entender o presente e moldar o futuro.” 

ROSA – APESAR DE TUDO

GALERIA OLIDO. AV. SÃO JOÃO, 473. TEL.: 2899-7370.  5ª (12), 20H. GRÁTIS.  ATÉ 12/9

Tudo o que sabemos sobre:
Rosa LuxemburgoAnja Panseteatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.