Dalila Rodrigues
Dalila Rodrigues

Retorno da peça ‘Bom Dia Sem Companhia’ marca evolução artística do ator Vitor Rocha

Artista de 24 anos consolida, ao atuar no Vivo, importante avanço na carreira iniciada em espaços mais alternativos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2022 | 05h00

O início de uma nova temporada da comédia musical Bom Dia Sem Companhia marca uma nova e importante etapa na carreira de Vitor Rocha, ator e idealizador do projeto. Desde sua estreia teatral em 2018, com Cargas D’Água - Um Musical de Bolso, espetáculo pequeno em termos de produção, mas de muita originalidade, Rocha acumulou sucessos e apresentou uma depuração no trabalho que, além de lhe render prêmios, começou a chamar a atenção de produtores e programadores. 

Foi o que aconteceu quando André Acioli, curador do Teatro Vivo, o convidou para reestrear Bom Dia Sem Companhia, agora em cartaz às quartas e quintas-feiras. “Há muita simbologia nesse convite”, observa o artista de 24 anos. “É a primeira vez que sou chamado para retornar com um espetáculo, um apoio inédito.” Também é a primeira vez que Rocha atua em um dos grandes teatros de São Paulo.

Memórias

Bom Dia Sem Companhia conta a história de Vini (Vitor Rocha) e Lara (Luiza Porto), dois ex-apresentadores mirins que são convidados a gravar, ao vivo, um especial de 10 anos do antigo programa que comandavam, o Vini e Lara Show. O fato os leva a reviver memórias boas e ruins, e faz com que eles levem esses conflitos para suas sessões de terapia. 

“Acho que a peça dialoga bem com o espetáculo da Lilia Cabral, A Lista, também em cartaz no Vivo, pois ambas trazem reflexões que são decisivas na vida das pessoas”, diz Rocha, escolhido pela revista Forbes como um dos 90 jovens mais bem-sucedidos no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.