Nicole Marangoni|Divulgação
Nicole Marangoni|Divulgação

Peça trata das diferentes formas de um relacionamento

'Ninguém Encontra Alguém', texto inédito do dinamarquês Peter Asmussen, estreia em São Paulo

Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2016 | 03h00

Relacionamentos promovem sentimentos distintos, como esperança, desilusão e lucidez. Esse é o ponto de partida de Ninguém Encontra Alguém, texto inédito do dinamarquês Peter Asmussen, que estreia no sábado, 28, também na SP Escola de Teatro.

“A peça toca em pontos que, às vezes, preferimos esconder. As personagens são brutas e frágeis, ao mesmo tempo. São capazes de delicadezas, mas, em situações-limite, revelam-se capazes de uma brutalidade atordoante”, afirma a atriz Léia Rapozo, que divide o palco com José Manuel Lázaro.

A peça mostra um casal que testa diferentes formas de relacionamento. E, apesar da evidência do carinho e do desejo, trata-se de um amor marcado pela dificuldade de comunicação.

“O texto de Asmussen nos propõe um estudo detalhado das relações de poder, eróticas e emocionais, de um homem e uma mulher. Dois seres que podem ter compartilhado uma história do passado ou que tenham acabado de se encontrar, nos levam a ponto extremo e visceral dessa possível conexão que nunca se consuma”, observa José Manuel Lázaro.

Assim, tornou-se um desafio para a diretora peruana Gisela Cárdenas explicitar o que é visível e os segredos guardados na intimidade de cada um. “De uma certa forma, concebemos esta encenação com um olhar múltiplo que, assim como um caleidoscópio, examina as desesperadas tentativas dos personagens por se conectar com outro ser humano e a impossibilidade de alcançar tal vontade”, comenta a encenadora.

NINGUÉM ENCONTRA ALGUÉM

SP Escola de Teatro. Praça Roosevelt, 210, tel. 3775-8600. Sáb., 21h30; dom., 20h. R$ 30. Até 26/6

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.