Amanda Perobelli/ESTADÃO
Amanda Perobelli/ESTADÃO

Peça de Shakespeare e feminismo inspiram espetáculo do Cirque du Soleil

'Amaluna' chega a São Paulo com elenco majoritário de mulheres que vivem em uma ilha comandada pela Rainha Próspera

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 14h27

O Cirque du Soleil anunciou ontem, 30, em coletiva, a turnê brasileira do novo espetáculo Amaluna. A montagem estreia em São Paulo em 5 de outubro no Parque Villa Lobos, e no Rio de Janeiro no dia 28 de dezembro, no Parque Olímpico. 

O espetáculo que atualmente cumpre turnê na Europa conta a história de uma ilha governada por deusas e guiada pelo ciclo da lua. Claramente inspirada em A Tempestade, última peça de William Shakespeare, o Rei Próspero ganha versão feminina - Próspera - que comanda uma cerimônia em homenagem à sua filha Miranda. 

Após uma tempestade causada pela rainha, um grupo de jovens aporta na ilha, criando novos laços com os nativos. Há também o monstro Cali, um ser meio lagarto, meio humano que é tratado como animal de estimação por Miranda, embora seja perdidamente apaixonado por ela. Amaluna é uma fusão das palavras ama, que se refere a mãe, em diversas línguas, e luna, que significa Lua.

Para encarar a empreitada, a companhia apostou em um elenco composto por 65% mulheres.

Ao todo são 46 artistas no palco oriundos de 20 países, sendo dois brasileiros. “Em geral, sempre existem mais homens nos elencos dos nossos espetáculos. Isso é um marco para todas nós. O que mais importa aqui é o empoderamento das mulheres”, afirma a diretora de planejamento de turnês do Cirque du Soleil Stephanie Harvey.

O espetáculo que estreou em Montreal em 2012 já passou por 30 cidades de dez países e foi visto por mais de quatro milhões de pessoas. Entre seus números, a deusa da Lua mergulha de uma altura de sete metros em uma taça gigante com água. Em outro, uma equilibrista cria um móbile construído com costelas de uma folha de palmeira. “São cenas de grande esforço e que exigem dos artistas força e concentração”, conta Stephanie. 

A pré-venda exclusiva para clientes do Banco Original começa nesta quinta, 1º, e vai até 2 de julho. Clientes em geral poderão adquirir as entradas a partir de 6/7. Ingressos vão de R$ 250 a R$ 450.

Mais conteúdo sobre:
Cirque du SoleilFeminismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.