Cirque du Soleil
Cirque du Soleil

Cirque du Soleil pode decretar falência por causa da pandemia de coronavírus

Brasileiros estão entre os integrantes da equipe dispensada; companhia tem uma dívida de US$ 900 milhões

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 10h30

Após demitir pelo menos 4,6 mil funcionários, o Cirque du Soleil Entertainment Group, que gere o Cirque du Soleil, planeja pedir falência apór ter que cancelar shows por causa do surto do novo coronavírus.

Segundo a Reuters, a companhia de circo canadense teve que demitir temporariamente a maioria de seus funcionários em meio à crise, cerca de 95% da força de trabalho da empresa. Entre eles estão os brasileiros Marcelo Perna e Gabriel Christo.

Perna integrava o espetáculo Corteo e Christo fez parte de montagens como Amaluna e Toruk, inspirado no filme Avatar. Os dois estavam na equipe artística da companhia. Eles publicaram em suas redes sociais o encerramento dos trabalhos no Cirque. "Meu último treinamento antes do corona", escreveu Christo.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

My last training before Corona. #teeterbord #cirquedusoleil thanks @karpovichbrothers for the push

Uma publicação compartilhada por Gabriel Christo (@bielchristo) em

O Cirque du Soleil teria hoje uma dívida de US$ 900 milhões (cerca de R$ 4,5 bilhões), segunda disse uma fonte interna à Reuters, mas credores pensam em negociar o valor com a companhia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.