Divulgação
Divulgação

Os 95 anos da atriz Ruth de Souza

Ela fez história e foi decisiva para o reconhecimento do artista negro no Brasil

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 16h49

Artistas conscientes de sua admirável negritude, como o casal Lázaro Ramos/Taís Araújo, com toda certeza sabem disso, mas não custa lembrar. Ruth Pinto de Souza, ou simplesmente Ruth de Souza, fez história e foi decisiva para o reconhecimento do artista negro no Brasil. Foi a primeira a subir ao palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, e numa peça de Eugene O'Neill, O Imperador Jones. Ruth foi pioneira no Teatro Experimental do Negro. Em 1948, estreou no cinema num papel de Terra Violenta, adaptado do romance Terras do Sem Fim, de Jorge Amado.

Como ninguém é profeta na própria terra, Ruth de Souza é lembrada principalmente por seu reconhecimento no estrangeiro, e por um prêmio que não recebeu. Em 1953, Sinhá Moça, produção da Vera Cruz dirigida por Tom Payne, representou o Brasil no Festival de Veneza. O filme ganhou um prêmio secundário, mas conta a lenda que foi por um triz que Ruth não foi a melhor atriz, por sua criação como a escrava Sabina. Lilli Palmer ganhou o prêmio de interpretação, mas Ruth ganhou respeito como atriz no País.

Em 1959, foi tão marcante em Oração para Uma Negra, de William Faulkner, de novo no teatro, que ganhou uma bolsa de um ano da Fundação Rockfeller para estudar nos EUA. Voltou de lá mais consciente ainda, numa época em que os negros norte-americanos começavam a se mobilizar na luta por direitos civis. Ruth de Souza fez muita novela - e algumas pertencem à história. O Bem Amado, Os Ossos do Barão, O Rebu. Fez muito cinema, e participou de obras seminais como A Morte Comanda o Cangaço, O Assalto ao Trem Pagador, As Cariocas, O Homem Nu. E nesta quinta-feira, 12, ela completa 95 anos. Nasceu no Rio, mas criou-se numa fazenda de Minas. É tempo de lembrar uma grande atriz brasileira. Não houve racismo nem preconceito capaz de tirar o brilho dessa mulher.

(Uma versão anterior deste artigo informava que a atriz completava 85 anos; na verdade, é 95, e a informação foi corrigida).

Mais conteúdo sobre:
Ruth Pinto de Souza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.