Lab Cultural
Lab Cultural

O surgimento de estrelas na TV inspira o musical 'Brilha La Luna'

Peça conta a história da menina que vivia em comunidade hippie até chegar no mundo televisivo e traz canções do grupo Rouge

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2022 | 05h00

Luna é uma garota que passou boa parte de sua vida distante das grandes cidades, em um refúgio hippie chamado Aserejé criado por seus pais, que fugiam do turbilhão das metrópoles. Mas, ao completar 18 anos, a garota fica órfã, o que permite que ela perceba que há vida além de sua comunidade.

O destino da moça é o ponto de partida de Brilha La Luna, musical que chega a São Paulo nesta segunda-feira, 23, no Teatro Liberdade. O texto é de Juliano Marciano, mas a trama nasceu a partir de uma inquietação de Diego Montez, que vem se destacando como ator e diretor do musical brasileiro. 

Ele conta que conversava com uma colega com quem participava de uma telenovela quando ela confessou que, até seus 16 anos, vivia em uma comunidade hippie onde não havia nenhum contato com a tecnologia ou mesmo com a cultura pop. Montez ficou fascinado com a descoberta, a ponto de rascunhar a história da garota que passa a vida longe das grandes cidades até entrar no mundo frenético da televisão.

Rouge

Pois Luna, ao chegar na cidade grande, participa por engano da seleção de um show de talentos da TV, que busca a nova estrela pop do Brasil. Em novo ambiente, a menina se questiona se deve abandonar o passado em busca do estrelato. Para os fãs, o título revela um detalhe essencial do espetáculo: a trilha sonora é recheada com canções do grupo Rouge, girl group de música pop que alcançou enorme sucesso desde sua formação, em 2002. A protagonista da peça, Marcella Bartholo, foi selecionada em um reality show, assim como as Rouge. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
teatromusical [teatro]Rouge

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.