AFP
AFP

A britânica Helen Mirren ganha seu primeiro Tony

'Fun Home' rendeu a Michael Cerveris o prêmio de melhor musical

Chris Michaud Additonal, Reuters

08 de junho de 2015 | 12h45

NOVA YORK - Helen Mirren ganhou seu primeiro prêmio Tony, no domingo, 7, pelo papel da rainha Elizabeth II em The Audience, e a história de amadurecimento de uma lésbica Fun Home rendeu a Michael Cerveris o prêmio de melhor musical, na 69ª premiação do teatro nos Estados Unidos.

A montagem britânica The Incident Curious of the Dog in the Night-Time, sobre uma incrível viagem de um adolescente com síndrome de Asperger que é um gênio em matemática, ganhou cinco prêmios, incluindo melhor peça, diretor e ator para seu protagonista, Alex Sharp, recém-formado na Juilliard School.

Mirren descreveu sua vitória como "uma honra incrível". Após levar o Tony, a maior premiação da Broadway, e já tendo conquistadoi um Emmy e um Oscar, ela disse que adoraria conquistar um Grammy, concedido pela indústria musical. "Eu tenho que fazer um audiolivro", brincou.

Em sua estreia na Broadway, Sharp venceu a estrela de Hollywood Bradley Cooper e o veterano ator Bill Nighy ao conquistar o prêmio de melhor ator. Meu Deus, meu Deus. É tão louco, disse um Sharp ainda surpreso, que dedicou seu prêmio aos jovens que se sentem incompreendidos ou diferentes. "Eu sinto como se eu tivesse ganho este prêmio para o meu personagem, Christopher, e para pessoas como Christopher".

Cerveris levou para casa o prêmio de melhor ator em um musical, o seu segundo Tony, por interpretar um pai homossexual enrustido, em Fun Home, que também ganhou o Tony de melhor diretor para Sam Gold. Após seis indicações, Kelli O'Hara levou para casa seu primeiro Tony de melhor atriz em um musical, pelo papel da governanta em O Rei e Eu.

Kristin Chenoweth e Alan Cumming, que venceram em edições anteriores, foram os anfitriões da cerimônia, transmitida ao vivo pela televisão CBS e que contou com canções dos principais musicais.

 

Mais conteúdo sobre:
TeatromusicalHelen Mirren

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.